Banca & Finanças Santander Totta compra parte do negócio de cartões do Wizink

Santander Totta compra parte do negócio de cartões do Wizink

O Santander fez uma reorganização accionista na Wizink em Portugal e Espanha, adquirida na resolução do Popular. O banco deixa de ter uma participação accionista naquela participada, mas readquire uma parcela do negócio de cartões de crédito e débito. O grupo não revela valores.
Santander Totta compra parte do negócio de cartões do Wizink
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 26 de março de 2018 às 08:38

O Santander Totta vai passar a ser dono de parte do negócio de cartões de crédito e de débito em Portugal que pertencia ao Wizink, segundo revelou o banco em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

 

Neste momento, o Wizink é detido em 51% pela Värde Partners e em 49% pelo Popular, que pertence ao espanhol Santander desde Junho do ano passado. Entretanto, houve um acordo, anunciado esta segunda-feira 26 de Março, que alterou a estrutura accionista.

 

O Popular vende a participação de 49% que detém no Wizink ao gestor americano de fundos de capital de risco. Só que parte da operação regressa ao grupo bancário, numa segunda parte do negócio anunciado.

 

"O Popular e o Santander Totta vão adquirir o negócio dos cartões de crédito e de débito comercializados pelo Popular em Espanha e Portugal, que o Wizink tinha comprado em 2014 e 2016 ao Popular", revela o comunicado.

 

O antigo banco electrónico do Popular transformou-se em Wizink em 2016, cerca de dois anos depois de o grupo espanhol ter alienado 51% do seu capital ao fundo Värde. Na sua carteira tinha, por exemplo, a banca de consumo do Citibank em Espanha. No final de 2016, os activos do Wizink engordaram com a aquisição do Barclaycard tanto em Portugal como em Espanha. Com a resolução do Popular, o Santander ficou dono das participações anteriormente detidas pelo seu concorrente. Agora, a participação accionista é vendida na totalidade, mas parte do negócio é recuperado.

"Após a transação, o Wizink prossegue com a sua estratégia de especialização em produtos simples de crédito e de poupança, que representam cerca de 90% das receitas totais do banco. A entidade ficará a gerir mais de 3.000 milhões de euros em saldos de cartões de crédito em Espanha e Portugal, e mais de 3.000 milhões de euros em depósitos e contas de poupança. Com uma experiência de 30 anos e mais de dois milhões de clientes, o WiZink lidera o mercado de crédito revolving em Espanha e Portugal", assinala o comunicado do Wizink.

O banco de crédito ao consumo mantém parte da operação, sendo que uma parcela de cartões de crédito e sobretudo a área de débito segue para o Santander. 

 

"Com estas operações, o Grupo Santander retoma o negócio dos cartões de débito e de crédito do Banco Popular, o que permite melhorar a estratégia comercial e facilita o processo de integração do Popular", indica o comunicado. Em Espanha, é o Popular que faz a aquisição, em Portugal é o Santander Totta. 

 

A transacção, que ainda aguarda autorizações regulatórias, deverá ficar concluída no segundo semestre deste ano. Em termos de capital do Santander, o impacto deverá ser positivo, com um impulso de 10 pontos base no principal rácio de capital, o Common Equity Tier 1.

 

Os comunicados não falam em valores.

O Santander está num processo de renovação da sua imagem, para contribuir para uma harmonização global. Em Portugal, o impacto será maior, com a alteração da denominação de Santander Totta para Santander Portugal. 

(Notícia actualizada e rectificada pela última vez às 11:36)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI