Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Eventos fazem "boom" no desconfinamento após terem perdido 765 milhões

No setor terciário, depois de ter conquistado o primeiro lugar entre os mais prejudicados pela pandemia, o dos eventos lidera a retoma, tendo registado um crescimento de 71% face ao primeiro confinamento, avança um estudo da plataforma Fixando.

Gucci
Rui Neves ruineves@negocios.pt 22 de Abril de 2021 às 12:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os efeitos da pandemia de covid-19 na economia portuguesa, com os sucessivos confinamentos, têm sido globalmente dramáticos para o setor terciário, mas se houve alguns serviços que sofreram quebras de atividade brutais, para outros acabou por ser uma oportunidade para angariar novos clientes e transformar o negócio.

 

A plataforma de contratação de serviços locais Fixando analisou o mercado, tendo concluído que, por exemplo, "o setor do bem-estar, que inicialmente sofreu uma quebra, acabou por ter um ‘boom’ face ao primeiro confinamento, registando um crescimento de 342%, numa altura em que quase tudo pode ser feito online", explica, em comunicado.

 

Já nas áreas da psicologia e de "personal training", registou um crescimento na ordem dos 695%, "derivado da adaptação ao online e da preocupação, por parte dos consumidores, em adotar um estilo de vida mais saudável perante o perigo constante que a pandemia trouxe à saúde dos portugueses", sinaliza a mesma plataforma.

 

O setor da assistência técnica também beneficiou com os sucessivos confinamentos, porquanto, "tendo em conta o facto de os portugueses passarem mais tempo em casa e, consequentemente, utilizarem mais os seus eletrodomésticos, houve um aumento na ordem dos 150% quando comparado com os valores pré-pandemia".

 

Entre os setores que mais perderam, a Fixando realça o dos serviços domésticos, que "tem profissionais que perderam, em média, 40% dos seus clientes, resultado da insegurança sentida por parte dos portugueses ao abrirem as portas das suas casas a elementos fora do agregado familiar".

 

Mas entre os que mais prejudicados, "o dos eventos está em primeiro lugar", destaca. Neste setor, "as quebras foram drásticas, tendo, em algumas situações, resultado na falência e encerramento de vários negócios".

 

As quebras neste setor estão "estimadas na ordem dos 765 milhões de euros", refletindo "um decréscimo superior a 85% nas transações, tudo consequência das restrições rigorosas que nunca foram levantadas", nota.

 

Relativamente ao desconfinamento em curso no nosso país, "e presumindo que os avanços a nível da saúde permitirão levantar definitivamente todas as restrições que tem fortemente impactado os setores dos serviços", a Fixando estima, "num primeiro momento, uma aceleração na procura de serviços que foram adiados devido à pandemia", como é o caso dos serviços relacionados com eventos.

 

Ressalva, portem, que "o desconfinamento poderá levar a uma quebra na procura dos serviços que foram indispensáveis apenas em altura de confinamento que, com a abertura total do país, passarão para um segundo plano, como a assistência técnica que, certamente, sentirá um abrandamento nas transações, dada a alteração das necessidades dos consumidores".

 

Não obstante ," acredita-se que o mercado acabará por se equilibrar no final deste ano, mesmo que este adaptado a numa nova realidade, com modernas ferramentas e novas formas de trabalho".

 

Com o plano de desconfinamento em vigor, e face ao verão que se aproxima, a Fixando projeta que "o verdadeiro vencedor seja o setor dos eventos".

 

"É um setor que só no primeiro mês de desconfinamento, registou um crescimento de 71%. Ainda assim, a redução da ocupação dos espaços de eventos para apenas 25% da lotação máxima poderá traduzir-se num aumento de preços por pessoa no setor, nomeadamente no que diz respeito às quintas e espaços para festas, cujo preço médio caiu apenas 20%, não tendo, por isso, acompanhado a redução do número de convidados", alerta Alice Nunes, diretora de Novos Negócios da Fixando.

 

A mesma responsável adianta que "também o setor dos serviços para animais, aliado à reabertura do turismo, poderá também garantir a sua prosperidade no verão de 2021".

 

Ver comentários
Saber mais serviços eventos pandemia covid-19 fixando assistência técnica psicologia serviços domésticos personal training
Outras Notícias