Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Paços de Ferreira abre último ciclo de lojas da Mercadona em 2020

A rede de supermercados retoma as inaugurações a 30 de outubro na Capital do Móvel, seguindo-se Campanhã (Porto), Águeda e Viana do Castelo até fechar o ano com 1.500 funcionários e 360 milhões de euros investidos em Portugal.

DR
António Larguesa alarguesa@negocios.pt 15 de Outubro de 2020 às 10:36
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A Mercadona agendou para dia 30 de outubro a inauguração do primeiro supermercado em Paços de Ferreira, no distrito do Porto. A 17.ª localização da marca de origem espanhola vai criar cerca de 60 postos de trabalho.

 

Localizada na rua de Ponte Real, a escassos 500 metros do estádio de futebol e do complexo das piscinas municipais, este novo espaço comercial envolveu a construção de uma rotunda nas imediações, paga pelo grupo de origem espanhola como contratado com a autarquia local.

 

 

O município conhecido como Capital do Móvel, devido à ligação à indústria nacional do mobiliário, recebe assim o arranque do último ciclo de aberturas da Mercadona no ano de 2020, marcado pela pandemia de covid-19 que atrasou quase três meses uma das lojas de Aveiro e obrigou a cortar no presunto e na comida em "take away".

 

Até dezembro, a retalhista com sede em Valência vai ainda abrir três novas localizações – a segunda no concelho do Porto, na freguesia de Campanhã; em Águeda e em Viana do Castelo, que será a primeira loja neste distrito do Alto Minho –, completando assim as dez aberturas calendarizadas para este ano.

 

360 milhões já investidos

 

Em 2021, a marca que lidera o mercado no país vizinho prevê abrir mais uma dezena de supermercados deste lado da fronteira, ainda sem revelar detalhes sobre as datas ou cidades envolvidas na expansão. A chegada a Lisboa está prevista apenas para os anos seguintes, incluindo um bloco logístico na zona da capital e um centro de coinovação semelhante ao que criou em Matosinhos para conhecer as preferências dos clientes.

 

Contabilizando 220 milhões de euros investidos nos últimos quatro anos em Portugal, que foi o primeiro destino de internacionalização, a marca que lidera o retalho alimentar no país vizinho tinha orçamentado para 2020 mais 140 milhões de euros, que envolvem os novos escritórios centrais em Vila Nova de Gaia, as lojas e atualizações no bloco logístico da Póvoa de Varzim, fechando este ano com 1.500 funcionários.

Ver comentários
Saber mais comércio mercadona supermercados paços de ferreira porto águeda viana do castelo lisboa
Mais lidas
Outras Notícias