Mundial 2018 Mundial 2018: FIFA sofre para arranjar patrocinadores

Mundial 2018: FIFA sofre para arranjar patrocinadores

A Federação Internacional de Futebol (FIFA) tem enfrentado cada vez mais dificuldades em cativar patrocinadores para os eventos que organiza, nomeadamente o Campeonato do Mundo de Futebol, que decorre de quatro em quatro anos.
Mundial 2018: FIFA sofre para arranjar patrocinadores
Pedro Curvelo 14 de junho de 2018 às 08:25
Os escândalos de corrupção que levaram à demissão do presidente da FIFA, o suíço Joseph Blatter, em 2015, deixaram marcas profundas na imagem da organização máxima do futebol mundial, considera o director executivo do Instituto Português de Administração e Marketing (IPAM), Daniel Sá, em declarações ao Negócios. "Há mesmo quem diga que foram alguns dos principais patrocinadores da FIFA a impor as demissões de vários dirigentes", acrescenta o responsável.

400
milhões de euros
É a perda de receitas estimada devido à ausência dos Estados Unidos e Itália do lote de 32 selecções presentes no Mundial.


Há ainda outro factor a pesar na obtenção de patrocínios: a ausência de países como os EUA, que representam quase 30% do mercado publicitário mundial, Itália, Holanda e Chile. "Só a ausência dos EUA e Itália estima-se que reduza as receitas do Mundial em cerca de 400 milhões de euros", sublinha Daniel Sá. A FIFA pretendia alcançar um total de 34 patrocinadores para o evento, mas apenas conseguiu 19.

A verdade é que, face ao Mundial de 2014, no Brasil, a FIFA perdeu alguns dos seus tradicionais patrocinadores, incluindo a Sony, a Emirates, a Johnson & Johnson e a Continental, tendo, contudo, captado alguns novos patrocinadores como a russa Gazprom, a Qatar Airways e várias empresas chinesas, casos da Wanda, Vivo, Hisense e Mingniu. O Mundial 2018 representou um investimento da Rússia no valor de 9,19 mil milhões de euros , segundo o orçamento oficial, um valor inferior aos 18.061 milhões de euros gastos pelo Brasil para o Mundial anterior, mas os valores da Rússia não incluem alguns projectos na área dos transportes realizados devido ao evento.

Ainda assim, a FIFA deverá facturar mais de cinco mil milhões de euros no ciclo comercial associado ao Mundial na Rússia (2015 a 2018), superando os 4,8 mil milhões de euros que havia estimado.

Números

Os valores do Mundial 2018

Apesar do elevado investimento feito pela Rússia para o Mundial, o valor é quase metade do que o Brasil gastou para receber o Mundial de 2014. 

5.000
milhões de euros
É quanto a FIFA deve facturar no ciclo de quatro anos associados ao Mundial 2018. 

9.190
milhões de euros
Foi quanto as autoridades russas investiram na organização do Mundial. 

19
patrocinadores
A FIFA pretendia alcançar os 34 patrocinadores, mas apenas conseguiu atingir os 19. 

194,2
milhões de euros
É o valor da marca Mundial de Futebol, segundo dados publicados pela revista Forbes.  




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 1 semana

Só mesmo IMBECIS DESPESISTAS investem nos chutadeiros de boila, que recebem BILIOES a custa dos bimbos e pobretanas de todo mundo!
BILIOES para patrocinar MORDOMIAS de chutadeiros analfabetos....

pub