Empresas Encerramentos de empresas aumentam há sete meses

Encerramentos de empresas aumentam há sete meses

Num ano em que se espera alcançar um novo recorde de criação de empresas, os encerramentos também se têm vindo a multiplicar. Empresas ligadas a actividades de exportação são das mais afectadas.
Encerramentos de empresas aumentam há sete meses
Ana Batalha Oliveira 09 de novembro de 2018 às 16:17

Há um novo recorde de criação de empresas no horizonte - mas, pelo caminho, ficam cada vez mais empresas encerradas, assinala o Barómetro da Informa D&B no balanço que faz até Outubro.

Desde Abril de 2018 que o número de empresas a fechar as portas tem vindo a crescer. Nos primeiros dez meses do ano, Portugal assistiu ao encerramento de 14.322 empresas, um crescimento de 25,4% face ao período homólogo, "acompanhando assim o aumento do número de empresas no tecido empresarial ocorrido nos últimos anos", observa a Informa D&B.

Esta tendência é comum a todos os sectores, embora os serviços e o retalho se destaquem com o maior número de negócios a desaparecer. Nos sectores grossista e das indústrias transformadoras, que têm "elevada importância nas exportações", os encerramentos dispararam mais de 40%.

Os distritos de Lisboa e Porto representam mais de metade (52%) da subida nos encerramentos: no Porto encerraram actividade mais 850 entidades (+46,0%) e em Lisboa mais 653 (+17,6%).

 

Paralelamente, o número de insolvências decresceu 10%. As entidades que ficam, porém, estão a piorar no que toca a cumprir prazos de pagamento aos fornecedores – só 14,5% os respeita, um valor que "continua em queda desde Setembro do ano passado, apresentando actualmente os valores mais baixos desde 2007", relata a Informa D&B.


Turismo dá impulso

A contrabalançar, está o cálculo de que até ao final de Outubro foram criadas 37.777 novas empresas e outras organizações, mais 3.253 do que no mesmo período do ano passado, o que traduz um crescimento de 9,4%.

Dentro dos serviços, destacam-se as empresas "com forte ligação ao turismo", lê-se no comunicado, dando como exemplo as actividades de animação turística e agências de viagens. Outras actividades ligadas ao sector, como o imobiliário, construção e transportes, mostram a mesma evolução positiva.

Para além do turismo, também o sector das tecnologias da informação e comunicação (TIC) mantém um forte crescimento de novas empresas, "um número que duplicou na última década", nota a Informa D&B.




pub