Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Avaliação bancária da habitação cai nove euros por m² em outubro

O número de avaliações bancárias recuou em outubro pelo quarto mês consecutivo e encontra-se 22,7% abaixo dos valores de maio, quando foi atingido o máximo da série.

Bloomberg
Pedro Curvelo pedrocurvelo@negocios.pt 29 de Novembro de 2022 às 11:16
O valor mediano da avaliação bancária recuou nove euros por metro quadrado (m²) em outubro face ao mês anterior, fixando-se em 1.420 euros, revela esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). Já o número de avaliações recuou 8,6% face a outubro de 2021, para 25,6 mil. Este foi, aliás, o quarto mês consecutivo de redução no número de avaliações e encontra-se 22,7% abaixo do pico da série, verificado em maio, o que indicia um arrefecimento do mercado imobiliário residencial.

Em termos homólogos, o valor mediano das avaliações realizadas no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação aumentou 13,5%, um abrandamento face aos 15,6% observados em setembro. Já face ao valor mediano de setembro regista-se uma diminuição de 0,6%.

O maior aumento mensal ocorreu na Madeira, com um incremento de 2,2%, tendo o Norte registado a única descida, com um decréscimo de 0,2%. Em termos homólogos, o Algarve apresenta a maior subida (18,8%) e o Norte o aumento mais diminuto (10,7%).

O valor mediano da avaliação bancária nos apartamentos em outubro cifrou-se em 1.581 euros por m², o que traduz uma subida homóloga de 14,2%. Os apartamentos mais caros situam-se no Algarve (1.967 euros/m²) e na Área Metropolitana de Lisboa (1.878 euros/m²). Já o Alentejo apresenta o valor mais baixo: 1.033 euros por metro quadrado.

Contudo, foi nos Açores que o valor da avaliação bancária mais subiu nos últimos 12 meses, com um aumento de 22,3%. No extremo oposto, a menor subida ocorreu na Madeira, com uma subida de 9,7%.

Por tipologias, face a setembro, o valor mediano das avaliações decresceu 8 euros nos T2, para 1.599 euros/m², e nos T3, o decréscimo foi de 2 euros, para 1.400 euros/m². Estas duas tipologias representam 78,6% das avaliações.

No que respeita às moradias, o valor mediano da avaliação foi de 1.142 euros/m², mais 13,1% do que um ano antes. O Algarve volta a ser a região com valores mais elevados (2.079 euros/m²) seguindo-se a Área Metropolitana de Lisboa (2.009 euros/m²). Em contrapartida, o Centro e o Alentejo apresentam os menores valores: 927 euros e 937 euros/m², respetivamente.

Metro quadrado avaliado em mais 169 euros do que há um ano

Apesar da descida registada em outubro face ao mês anterior, o valor mediano da avaliação encontra-se 169 euros acima dos 1.251 euros por metro quadrado observados em outubro do ano passado.

As variações oscilam entre os 108 euros por m² no Alentejo e os 315 euros por metro quadrado no Algarve. Na Área Metropolitana de Lisboa os valores subiram 241 euros por m².
Ver comentários
Saber mais Instituto Nacional de Estatística INE avaliação bancária habitação imobiliário
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio