Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Câmara de Lisboa aprova projeto para habitação em Palácio do Patriarcado e Palácio Valmor

A Câmara de Lisboa aprovou esta segunda-feira um projeto de arquitetura, que prevê a construção de habitação em três edifícios no Campo Mártires da Pátria, que incluem o Palácio do Patriarcado e parte do Palácio Valmor do século XVIII.

Lusa 21 de Dezembro de 2020 às 20:09
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...


A proposta, subscrita pelo vereador responsável pelo pelouro do Urbanismo, Ricardo Veludo (independente, eleito nas listas do PS), foi aprovada com os votos do PS, PSD e CDS-PP e o voto contra de PCP e BE.

O projeto prevê a construção de 39 frações para habitação e uma fração destinada a comércio, com 56 lugares de estacionamento distribuídos por quatro pisos abaixo do solo.

O empreendimento é da Coporgest, promotora de imobiliário de luxo liderada por Sérgio Ferreira.

Em declarações à Lusa, a vereadora do PCP Ana Jara criticou a proposta, considerando que corresponde "a opções políticas erradas no que respeita à gestão urbanística da cidade".

Além disso, acrescentou, "não considera o que está definido na carta Municipal do Património".

Segundo a vereadora comunista, os dois edifícios integram a Carta Municipal do Património Edificado e Paisagístico de Lisboa do Plano Diretor Municipal "cujo articulado do regulamento é claro quanto à intervenção admissível na sua reabilitação no sentido da salvaguarda da integridade destes edifícios e a sua relevância para o futuro da cidade".

"Construir uma piscina na cobertura do Palácio do Patriarcado não é salvaguardar a integridade dos edifícios classificados", disse, considerando que as alterações propostas "são muito extremas" e que seria possível fazer um projeto "com alterações menos intrusivas".

Ana Jara referiu ainda que "a Estrutura Consultiva Residente da Carta Municipal do Património emitiu parecer negativo, considerando que o projeto não cumpre o PDM [Plano Diretor Municipal]".

No parecer da Estrutura Consultiva, anexo à proposta discutida na reunião do executivo camarário e a que a Lusa teve acesso, é referido que o projeto, exterior e interiormente, continua "a não salvaguardar, proteger e respeitar, de forma efetivamente eficaz, os interesses importantíssimos de ordem patrimonial associados a cada um destes bens da Carta Municipal do Património".

A Lusa tentou contactar o vereador do BE (partido que tem um acordo de governação da cidade com o PS), Manuel Grilo, para questionar as razões do seu voto contra, mas tal não possível em tempo útil.

 


 
Ver comentários
Saber mais Palácio Valmor Palácio do Patriarcado Lisboa Ricardo Veludo Ana Jara imobiliário luxo coporgest
Outras Notícias