Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Media Capital considera “adequado” preço da OPA lançada por Mário Ferreira

O conselho de administração considera "adequada" a contrapartida mínima de 67 cêntimos e "acolhe favoravelmente" o plano estratégico apresentado pelo empresário na oferta sobre cerca de 70% do capital da dona da TVI.

Rita Faria afaria@negocios.pt 21 de Dezembro de 2020 às 09:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O conselho de administração da Media Capital considera "adequado" o preço da OPA lançada por Mário Ferreira, através da Pluris Investments, sobre cerca de 70% do capital da dona da TVI.

 

Como foi explicado no anúncio preliminar da operação, o preço será o que resultar da determinação do Auditor Independente acrescido de 2%, desde que não inferior a 67 cêntimos, caso em que será este o valor da contrapartida.

 

"O Conselho de Administração considera que o valor da contrapartida da Oferta é adequado; no caso de o resultado da avaliação que está a ser levada a cabo por auditor independente designado pela CMVM, divergir em termos substanciais da contrapartida financeira oferecida pelo Oferente, o Conselho de Administração reservar-se-á a faculdade de poder ter um entendimento diverso", refere o comunicado enviado à CMVM.

 

A contrapartida de 67 cêntimos foi o valor a que o grupo de investidores individuais comprou a participação de 64,47% à Prisa, pelo que Mário Ferreira assumiu esse valor como contrapartida mínima nesta oferta.

 

Quanto ao plano estratégico apresentado pelo empresário, a Media Capital diz que "acolhe favoravelmente os termos da Oferta".

 

"No que respeita à oportunidade da Oferta, o Conselho de Administração entende não dever pronunciar-se uma vez que se trata de uma Oferta obrigatória lançada na sequência de uma deliberação do regulador, pelo que não lhe cabe avaliar da oportunidade de uma Oferta desta natureza", refere ainda o comunicado.

 

Recorde-se que a CMVM obrigou Mário Ferreira ao lançamento da OPA sobre a Media Capital por ter considerado existir concertação entre o empresário e a Prisa. Mário Ferreira tinha, nesse entendimento, de aceitar a venda que a Prisa fizesse e esta ficou, segundo o Sol, com a garantia que recebia qualquer mais-valia que os acionistas individuais fizessem.

"A oferta é lançada por imposição regulatória, na sequência da deliberação, sem prejuízo do que, em caso de aumento da participação atualmente detida pela oferente na sociedade visada, a oferente dará continuidade à atividade daquela, ao seu objeto social e, bem assim, das sociedades que com a sociedade visada se encontrem em relação de domínio ou de grupo", lê-se no anúncio preliminar.

A oferta é sobre  69,78% do capital da Media Capital.

Ver comentários
Outras Notícias