A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Apple aumenta investimento nos EUA, com a promessa de 430 mil milhões em cinco anos

A Apple pretende aumentar o investimento nos Estados Unidos, comprometendo-se a gastar 430 mil milhões de dólares no país nos próximos cinco anos. A tecnológica prevê ainda a criação de 20 mil novos postos de trabalho.

3.º Apple: 140,52 mil milhões de dólares
David Gray/Reuters
Cátia Rocha catiarocha@negocios.pt 26 de Abril de 2021 às 15:31
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A tecnológica norte-americana anunciou esta segunda-feira planos para aumentar em 20% os investimentos nos Estados Unidos. A empresa liderada por Tim Cook planeia investir 430 mil milhões de dólares (cerca de 356 mil milhões de euros) ao longo dos próximos cinco anos, com parte desse valor destinado ao "desenvolvimento da próxima geração de [processadores] silicon e inovação 5G em nove estados dos Estados Unidos".

Uma pequena parte do investimento de 430 mil milhões de dólares estará destinado à criação de um novo campus no estado da Carolina do Norte, nos EUA. Esta nova localização, que estará dedicada à área de engenharia, representará um investimento de mil milhões de dólares, refere a Apple. Através deste campus serão criados "pelo menos 3 mil novos empregos" em tecnologias como a aprendizagem automática, inteligência artificial ou engenharia de software.

Os planos a cinco anos contemplam ainda gastos diretos com cerca de nove mil fornecedores presentes nos Estados Unidos ou o investimento em infraestruturas de data centre. Com a empresa a apostar cada vez mais nos serviços - ao longo dos últimos meses já anunciou um serviço de subscrição para a prática de exercício físico ou subscrições de podcasts - foram detalhados planos para gastos domésticos ligados a um serviço em concreto, o Apple TV+.

Neste caso, a tecnológica vai alocar parte do montante à produção de conteúdos para alimentar o serviço de streaming de vídeo em 20 estados norte-americanos, "criando milhares de empregos e a apoiar a indústria criativa". Ao longo dos últimos anos, a indústria audiovisual tem estado mais virada para países como o Canadá, onde os custos de produção de séries ou filmes são significativamente mais baixos, com incentivos fiscais a acompanhar.

Tecnológica compromete-se a criar mais 20 mil empregos
Esta não é a primeira vez que a Apple torna público o valor de investimento que pretende alocar ao país de origem num prazo concreto. Em 2018, a tecnológica já tinha definido um objetivo de 350 mil milhões de dólares de investimento e a criação de 20 mil postos de trabalho.

Com a Apple a referir que está no bom caminho para atingir os 20 mil empregos até 2023, compromete-se a acrescentar mais 20 mil empregos aos objetivos até 2026.

"Neste momento de recuperação e reconstrução, a Apple está a dobrar o compromisso para com a inovação e a indústria nos Estados Unidos (...)", anunciou Tim Cook, o CEO da empresa. "Estamos a criar empregos em áreas de ponta - desde o 5G até à engenharia silicon e à inteligência artificial - ao investir na próxima geração de novos negócios inovados e, em todo o nosso trabalho, a contribuir para um futuro mais verde e equalitário."

Os aumentos mais significativos de postos de trabalho até 2026 estão planeados para a Califórnia, com a Apple a pretender contratar mais 5 mil empregados para San Diego até 2026 e mais 3 mil pessoas para a equipa de Culver City.

Outras contratações vão decorrer em estados como o Colorado, Texas, Washington ou Iowa. No Texas, por exemplo, decorrem os trabalhos de construção do campus de Austin, com a empresa a referir que é expectável que os trabalhadores comecem a ocupar o novo espaço "no próximo ano".
Ver comentários
Saber mais Estados Unidos EUA tecnologias de informação Apple Tim Cook
Outras Notícias