Transportes Três anos depois, Uber regressa a Barcelona

Três anos depois, Uber regressa a Barcelona

Vai voltar a ser possível andar de Uber em Barcelona. Em 2014, a empresa suspendeu as operações devido a vários constrangimentos legais. Agora, e para evitar problemas, para estar em Barcelona a Uber vai seguir o mesmo caminho que segue em Madrid.
Três anos depois, Uber regressa a Barcelona
Amr Abdallah Dalsh/Reuters
Ana Laranjeiro 13 de março de 2018 às 08:59

Depois de uma pausa de três anos, vai voltar a ser possível andar de Uber em Barcelona. Para evitar problemas legais – que estiveram na raiz da interrupção do serviço na cidade catalã – a empresa vai operar com a licença VTC (Veículos de Transporte com Condutor), tal como faz em Madrid, de acordo com o jornal espanhol Expansión.

"Barcelona é uma cidade muito especial para a Uber e desta vez queremos fazer as coisas bem", disse a empresa num comunicado, citado pelo jornal.

No final de 2014, a Uber deixou de funcionar na cidade catalã na sequência de uma decisão de um juiz de suspender o serviço UberPop. Em Dezembro do ano passado, como recorda o Expansión, o Tribunal de Justiça da União Europeia considerou que este serviço é mais do que uma mera intermediação e pode considerar-se que está dentro de uma actividade de empresa de transporte.

Desde então a firma norte-americana tem tentado relançar a sua actividade em Barcelona, socorrendo-se do mesmo mecanismo que usa a sua concorrente Cabify, as licenças. O jornal explica que a escassez destas licenças VTC e a rigidez legal de Espanha impediu que esta aplicação de transporte fornecesse um serviço satisfatório e regressasse à cidade mais famosa da Catalunha.

Contudo, esta situação sofreu uma alteração na sequência de uma deliberação do Tribunal Supremo em Espanha. A instituição decidiu desbloquear mais licenças VTC.

"Estamos há mais de um ano a trabalhar para regressar a Barcelona e não o fizemos até sermos capazes de garantir um bom serviço. A chegada de milhares de novas licenças à Catalunha tornou possível voltarmos", disse uma fonte da empresa, ao jornal.

Esta notícia surge numa altura em que, em Portugal, a votação das iniciativas para regulamentar o transporte em veículos descaracterizados a partir de plataforma electrónica está marcada para quarta-feira. As novas regras estão já mais claras.

A votação esteve agendada para a semana passada e posteriormente adiada. Naquela altura o Negócios avançava que o PS, o PSD e o CDS-PP tinham conseguido chegar a um conjunto de entendimentos que permitirá a aprovação de regulamentação para a actividade de empresas como a Uber, Cabify ou Taxify.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Conceição Santos 13.03.2018

Só desta vez é que querem fazer as coisas bem... Fazer as coisas bem à primeira deve ser uma novidade para a Uber. Cumprir as leis está quieto. bonito.

Saber mais e Alertas
pub