Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas europeias em alta com vitória de David Cameron

A bolsa de Londres e o Stoxx 600 estão a subir mais de 1%. Nos mercados cambiais, a libra registou a maior subida em seis anos face ao euro.

Bloomberg
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

As bolsas europeias estão a negociar em alta após a vitória dos conservadores liderados por David Cameron nas eleições britânicas.

 

Em Londres, a bolsa britânica está a ganhar 1,87% para 7.015,91 pontos na sessão desta sexta-feira, 8 de Maio. Destaque para os ganhos do banco Lloyds (7,29%), do Royal Bank of Scotland (6,08%) e da distribuidora de energia Centrica (6,49%).

 

Já o índice Stoxx 600 – que junta as maiores cotadas europeias – sobe 2% para 396,77 pontos, impulsionada pelos ganhos do sector imobiliário (3,80%), mineiro (2,36%) e segurador (2,06%).

 

A tendência de ganhos também se vive nas restantes principais praças europeias, como em Madrid (0,73%), Paris (0,37%) e Frankfurt (0,78%).

 

Apesar dos resultados ainda não estarem fechados, é possível que o Partido Conservador vença as eleições com uma maioria parlamentar, não precisando de formar uma coligação para governar, tal como sucedeu em 2010.

 

"É um resultado impressionante. Parece que os conservadores estão muito próximos da linha da meta. Os activos no Reino Unido vão estar em melhor forma esta manhã do que previmos nas últimas semanas", disse à Bloomberg Jeremy Stretch do Canadian Imperial Bank of Commerce.

 

Nos mercados cambiais, a libra registou a maior subida em seis anos, ao subir 2,1% para 72,38 pence por euro, a maior subida desde Janeiro de 2009. A moeda britânica segue a valorizar, pelo menos, 1,2% contra 16 outras moedas.

 

Apesar do sentimento positivo que se vive agora nos mercados, os analistas lembram que, com os conservadores no poder, pode vir a ser realizado um referendo sobre a permanência na União Europeia. 

 

"Os conservadores são vistos como mais amigos dos mercados do que os trabalhistas e é isso o que está aqui em causa", disse à Bloomberg o analista da Société Générale, Sebastien Galy. "Dito isto, com um governo conservador" algumas pessoas vão reavaliar a sua perspectiva no longo prazo, devido aos riscos do Reino Unido sair da União Europeia, apontou.

 

Já nos mercados de dívidas soberanas, as obrigações britânicas seguem a recuar. A taxa de juro da dívida a 10 anos está a cair 7,7 pontos base para 1,844%.

Ver comentários
Saber mais David Cameron Londres Partido Conservador União Europeia economia negócios e finanças economia (geral) finanças (geral) mercado e câmbios
Mais lidas
Outras Notícias