Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

"Short-sellers" e Fed atiram Wall Street ao chão. Bed, Bath & Beyond mergulha 40%

As declarações de alguns "falcões" da Fed, a intenção de Buffet deter até 50% da Occidental Petroleum e as "meme stocks" dominaram a última sessão da semana.

Reuters
Fábio Carvalho da Silva fabiosilva@negocios.pt 19 de Agosto de 2022 às 21:13
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...

Wall Street terminou a sessão em terreno negativo, penalizada pelos "short-sellers" e pela preocupação dos restantes investidores face às declarações "hawkish" de alguns membros da Reserva Federal norte-americana (Fed).

O industrial Dow Jones derrapou 0,86% para 33.716,15 pontos, enquanto o S&P 500 registou a maior queda diária desde junho, tendo caido 1,29% para 4.228,37 pontos. Já o tecnológico Nasdaq Composite deslizou 2,01% para 12.705,22 pontos.

 

A voltalidade também esteve em alta: o Cboe Volatility Index também conhecido popularmente como o "índice do medo de Wall Street", renovou máximos de duas semanas ao tocar nos 20 pontos.

Parte desta volatilidade pode ser explicada pelo facto de esta sexta-feira ter expirado um contrato de opções de dois biliões de dólares. Os "short-sellers" também marcaram presença de peso esta sessão, tendo registado a melhor semana  desde março de 2020, de acordo com a Bloomberg.

 

A sessão foi marcada pelas declarações de três membros da Fed que salientaram a necessidade de continuar a subir as taxas de juro. O presidente do banco central de Richmond, Thomas Barkin, afirmou que a Reserva Federal "deve fazer o que for necessário para conter a inflação".

 

Thomas Barkin juntou-se assim a outros dois membros do Comité Federal do Mercado Aberto (FOMC) - James Bullard e Esther George - que enfatizaram, citados pela Bloomberg, a necessidade de continuar a aumentar as taxas de juro para garantir que a inflação chegue à meta dos 2%.

 

Entre os principais movimentos de mercado destaca-se a queda de Bed, Bath & Beyond de 40,03%.

Esta semana, o presidente da GameStop, Ryan Cohen, desfez-se da totalidade das ações a troco de um valor global de 189,3 milhões de dólares, segundo foi divulgado já após o fecho da sessão desta quinta-feira em Wall Street, confirmando os rumores que já circulavam na imprensa. O empresário lucrou 68,1 milhões de dólares com a venda da sua participação no capital da companhia.

 

Destaque ainda para os títulos da Coinbase que afundaram 11,9%, assim como as ações da Marathon Digital Holdings (-15,39%) e da Riot Blockchain (-12,68%), que recuaram à boleia do tombo da bitcoin que segue a renovar mínimos de dois meses.

Por fim a Occidental Petroleum subiu 9,94%, depois de a empresa comandada por Warren Buffet ter recebido luz verde do regulador energético dos EUA, para avançar com a proposta de reforçar a posição na petrolífera até 50% do capital da empresa.

Ver comentários
Saber mais Wall Street Fed Bloomberg Reserva Federal Thomas Barkin economia negócios e finanças macroeconomia mercado financeiro energia energia macroeconomia mercado financeiro banco central
Outras Notícias