Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Galp beneficia de duas subidas de preço-alvo. Analistas atribuem potencial de 21%

Os analistas que seguem os títulos da petrolífera colocam o preço-alvo médio das ações nos 11,98 euros. Esta quinta-feira, os títulos avançam mais de 1% em reação às duas notas de research e à valorização do petróleo nos mercados internacionais.

D.R.
Leonor Mateus Ferreira 14 de Outubro de 2021 às 10:55
  • Partilhar artigo
  • 3
  • ...
A Galp Energia está a beneficiar de duas subidas nos preços-alvos para as ações. Tanto a Société Génerale como a RBC Capital estão mais confiantes na valorização das ações da petrolífera portuguesa liderada por Andy Brown e a média das duas dezenas de bancos de investimento que cobrem a ação apontam agora para um potencial de valorização de quase 21%.

A Société Génerale reviu em alta, esta quinta-feira, o price-target para 10,30 euros por ação, o que confere um potencial ganho implícito de 3,91% face ao preço de fecho das ações na última sessão (9,804 euros). A recomendação é de compra. Já o RBC Capital colocou o preço alvo nos 12 euros por ação, numa nota assinada por Biraj Borkhataria, com uma recomendação de sector perform (equivalente a neutral).

Além destas duas, a Galp Energia foi alvo de revisões por parte de mais dois analistas esta quinta-feira: a Bernstein reafirmou o target em 13 euros (com recomendação de market perform) e a Equita SIM manteve também a projeção de que as ações atinjam os 15 euros nos próximos 12 meses e recomenda por isso a compra.

Em média, os analistas que seguem os títulos da Galp Energia colocam o preço-alvo nos 11,98 euros (o que lhe dá o tal potencial de 20,9% face ao último fecho). Onze bancos de investimento recomendam a compra, 12 a manutenção da posição e apenas um sugere aos clientes que vendam. Em reação à divulgação destas notas, as ações da empresa seguem a valorizar 1,33% no PSI-20 para 9,934 euros por ação.

As ações da Galp têm ganho com a tendência altista do petróleo. As cotações do "ouro negro" negoceiam em alta há cinco semanas consecutivas, impulsionadas pela crise energética global que tem estado a levar os preços do gás natural para máximos históricos e levou a China a ordenar um aumento da produção de carvão.

 

O contrato de novembro do Brent do Mar do Norte, negociado em Londres e referência para as importações portuguesas, está acima dos 83 dólares, em valores que não atingia desde há três anos. Já o West Texas Intermediate (WTI), "benchmark" para os Estados Unidos, para entrega em novembro ultrapassou os 80 dólares pela primeira vez desde novembro de 2014.

Segundo os dados operacionais trimestrais divulgados na segunda-feira, a Galp Energia registou um aumento de 15% nas vendas de produtos petrolíferos no terceiro trimestre deste ano. Ainda assim, o indicador de produção "working interest" – que diz respeito à produção bruta de matéria-prima, sobretudo petróleo, e que inclui todos os custos decorrentes das operações – registou uma descida de 4% face ao terceiro trimestre do ano passado, fixando-se nos 128,2 mil barris por dia.

Ver comentários
Outras Notícias