Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portugal troca mais de mil milhões de euros de dívida

A agência que gere o crédito público concluiu esta manhã uma operação de troca de dívida que vencia entre 2017 e 2019 por títulos com maturidade em 2025 e 2037.

Miguel Baltazar/Negócios
Rui Barroso ruibarroso@negocios.pt 01 de Julho de 2016 às 10:49
  • Assine já 1€/1 mês
  • 15
  • ...

Os investidores aceitaram trocar 1,01 mil milhões de euros de dívida portuguesa que vencia entre 2017 e 2019 por títulos com maturidade em 2025 e 2037, segundo dados da Bloomberg. Esta operação é uma forma de estender o prazo médio da dívida nacional e de diminuir as necessidades de refinanciamento dos próximos anos e tem sido uma estratégia utilizada frequentemente pelo IGCP ao longo dos últimos anos.

A linha de obrigações alvo da maior troca foi a que tem como maturidade Outubro de 2017, com os investidores a aceitarem trocar 547 milhões de euros. Já nos títulos que vencem em Junho de 2018 foram trocados 314,5 milhões de euros, enquanto nas obrigações com vencimento em Junho de 2019 a troca totalizou 150 milhões de euros.

Os investidores que aceitaram os termos da troca receberam obrigações com maturidade em 2025 e 2037. No prazo a dez anos foram emitidos 732,8 milhões de euros e na maturidade mais longa foram alocados 279 milhões de euros.

Filipe Silva, director da gestão de activos do Banco Carregosa, considera que "foi uma operação positiva". Numa nota explica que "o mais relevante – e o que interessa ao Estado português – foi conseguir fazer o chamado rollover da dívida, isto é, trocar dívida que teria que ser paga em breve, por dívida que só terá que ser paga mais tarde. Ou seja, o Estado comprou tempo". 

Os preços propostos pelo IGCP para os investidores fazerem a troca não estiveram muito longe do registado no mercado secundário na véspera da operação. Para recomprar as obrigações com maturidade em 2017, a agência liderada por Cristina Casalinho oferecia um preço de 105,104 % do valor nominal. Na prática, por cada cem euros de dívida, o Estado oferecia 105,104 euros. No mercado secundário, estes títulos transaccionavam com um valor de 105,26% do valor nominal esta quinta-feira.

Nos títulos de 2018, o preço da recompra foi de 107,38% do valor nominal, o que compara com o preço de 107,52% que se registava no mercado secundário. Já nas obrigações de 2019, foi de 110,21% do valor nominal, o que compara com a cotação de 110,58% no mercado secundário.

Já as obrigações que os investidores aceitaram foram entregues com um preço de 100,03% do valor nominal na maturidade de 2025 e de 103,81% nos títulos que vencem em 2037. Na véspera da operação, estas obrigações negociavam com preços de 100,63% e de 105,1% do valor nominal. 


(Notícia actualizada às 11:23 com dados do IGCP e com mais informação)

Ver comentários
Saber mais economia negócios e finanças macroeconomia obrigações IGCP Cristina Casalinho
Mais lidas
Outras Notícias