André Jordan
André Jordan 10 de julho de 2019 às 11:30

A hora das mulheres

Nancy Pelosi, 78 anos, uma senhora bonita, elegante e feminina com grande inteligência e coragem. Trump, habituado a resolver os problemas pela agressão, enquanto o mundo civilizado torce para que ele seja o perdedor.

Desde pequeno, devido ao intenso relacionamento intelectual com a minha mãe, descobri de forma espontânea que as mulheres sabem mais da vida do que os homens e que a sua vaidade natural não afeta a objectividade do seu raciocínio. Não se trate de saber qual dos dois géneros (ao que parece agora existem mais alguns) possui mais inteligência e sim como ela é aplicada.

 

A superioridade exercida pelos homens através dos tempos deve-se fundamentalmente à força física destes. Naturalmente, o progresso científico e tecnológico reduziu a importância da maior capacidade física como elemento de exercício do poder.

 

Já adulto, fui acompanhando a paulatina e difícil ascensão das mulheres às posições de autoridade na administração pública, nas empresas e na academia, não chegava a compreender que, apesar de muitos exemplos de sucesso, as mulheres não conseguiam consolidar a sua ascensão.

 

É muito comentada actualmente a pouca qualidade dos dirigentes públicos, o que também acontece menos visivelmente nas empresas privadas.

 

Tentando compreender esta complexa situação, vislumbrei que a afirmação das mulheres tarda porque o impulso dos movimentos femininos, que abriu o acesso das mulheres ao comando, perde vigor na recta de chegada devido a um erro de paradigma - o movimento impunha que as mulheres fossem iguais aos homens, desta forma, abdicando do factor diferenciador - a sensibilidade feminina.

 

Recentemente podemos observar o caso mais dramático cujo desfecho será crucial para a nossa civilização. Trata-se do confronto entre o truculento e agressivo Presidente dos Estado Unidos, Donald Trump, com a sensibilidade da presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, em que estão depositadas as esperanças de sobrevivência da civilização ocidental tal como existe desde a Revolução Francesa. Trump atropela tudo e todos, respondendo apenas às imposições do seu narcisismo e dos seus interesses às ligações internas e externas com os quais está comprometido.

 

Nancy Pelosi, 78 anos, uma senhora bonita, elegante e feminina com grande inteligência e coragem. Trump, habituado a resolver os problemas pela agressão, enquanto o mundo civilizado torce para que ele seja o perdedor.

Empresário

 

Artigo em conformidade com o antigo Acordo Ortográfico 

Marketing Automation certified by E-GOI