Cronista
Rui Patrício Advogado
Rui Patrício No Brasil, "ganhou" Umberto Eco 05.11.2018 Rui Patrício
O inimigo é o mais perfeito bode expiatório e, quanto mais complexas são as sociedades e quanto mais intensos (mesmo que difusos) são os medos e as fraquezas, tanto mais necessários são os inimigos.
Rui Patrício Lizardo 01.10.2018 Rui Patrício
Um opinador bestial aos olhos dos outros pode, facilmente, passar a besta quanto começa a decidir sobre as suas vidas, em ponto pequeno ou grande.
Rui Patrício A vida como ela é 03.09.2018 Rui Patrício
Gostam de Nelson Rodrigues? Eu sim, e muito. Do Nelson Rodrigues dramaturgo, cronista, romancista de um romance só; homem paradoxal, excessivo e controverso, cru até ao limite às vezes, et cetera.
Rui Patrício Longe da vista, perto do coração  06.08.2018 Rui Patrício
Não esqueçam de que na bagagem podem também levar a lei do país de partida, lembrança importante para evitar eventuais problemas no regresso.
Rui Patrício Autoajuda e o gato de Cheshire 02.07.2018 Rui Patrício
Parece-me que o excesso de crença nestas coisas da autoajuda pode ter dois efeitos perversos. É tudo - como na vida em geral - uma questão de proporção. 
Rui Patrício A bexiga do deputado Camoesas (de Roth às frentes cívicas) 04.06.2018 Rui Patrício
O frentista tende a confundir os princípios em si mesmos com a sua aplicação consoante o que lhe agrada ou desagrada, como se a liberdade, por exemplo, fosse boa quando serve para ele dizer o que quer.
Rui Patrício O charme discreto da presunção da inocência 07.05.2018 Rui Patrício
Acreditar hoje na presunção da inocência em processos que estão no espaço público é como acreditar no Pai Natal. E, por favor, não tussam para disfarçar. 
Rui Patrício Os irmãos Celani 02.04.2018 Rui Patrício 45
A sua necessidade de imaginação e a sua fome de experiências são de outro mundo, um mundo que ainda existe muito por essa Terra fora, e que às vezes só vemos quando olhamos para lá da bolha de conforto.
Rui Patrício Ovídio e um "tweet" pós-coital 05.03.2018 Rui Patrício
Ovídio escreveu (em "Ars Amatoria") que os animais ficam tristes depois do coito. Ele lá saberia, mas a verdade é que o Zé, certo dia, depois do prazer, não entristeceu, antes deu por si num remanso de carne e espírito.
Rui Patrício É uma mulher, mas não é ou talvez seja (ou o segredo de justiça na paleta de Cruzeiro Seixas) 05.02.2018 Rui Patrício 39
A violação do segredo de justiça é um escândalo, e é crime. Ponto. A falta de energia e de resultados na investigação deste crime é uma vergonha. Ponto. A devassa obscena de operações judiciárias é inaceitável. Ponto parágrafo.