Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Anthony Fauci avisa que a Rússia arrisca “fazer mal a muita gente” com a sua vacina

O diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas considera que a segurança e eficácia da vacina russa não foram suficientemente testadas.

A carregar o vídeo ...
Negócios jng@negocios.pt 12 de Agosto de 2020 às 11:20
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...

Anthony Fauci, o famoso epidemiologista norte-americano que lidera o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas há três décadas, avisa que a vacina desenvolvida pela Rússia, e que será administrada já no próximo ano, poderá fazer mal a muita gente, na medida em que a sua segurança e eficácia não foram suficientemente testadas.

Em entrevista à ABC News, na terça-feira, Fauci sublinhou que os Estados Unidos poderiam seguir o mesmo caminho, se quisessem, mas estão preocupados com a segurança e a saúde da população.

"Temos meia dúzia ou mais de vacinas, pelo que se quiséssemos arriscar fazer mal a muitas pessoas ou dar-lhes algo que não funciona, poderíamos começar a fazê-lo já na próxima semana se quiséssemos, mas não é assim que funciona", afirmou o epidemiologista à ABC News. "Ter uma vacina e provar que ela é segura e eficaz são duas coisas diferentes".

"Espero que os russos tenham provado definitivamente que a vacina é segura e eficaz", seguiu Fauci. "Mas duvido seriamente que o tenham feito. Temos uma forma de fazer as coisas neste país, onde nos preocupamos com a segurança e nos preocupamos com a eficácia".

As declarações de Fauci, que tem sido uma figura de destaque na luta dos Estados Unidos contra a pandemia da covid-19, surgem depois de a Rússia ter anunciado que registou a primeira vacina contra o novo coronavírus, após dois meses de testes em humanos. Trata-se da "Sputnik V" que será administrada já a partir do próximo ano, e que já terá recebido pedidos para 1 milhão de doses.

Fauci tem-se mostrado otimista com a chegada de uma vacina no final de 2020 ou no início de 2021, mas também alertou o público sobre as suas expectativas quanto à eficácia de qualquer vacina desenvolvida. A maioria dos cientistas afirma que demora pelo menos um ano a desenvolver uma vacina segura.

O epidemiologista também avisou que é improvável que uma vacina garanta 100% de imunidade; num cenário realista, qualquer vacina desenvolvida teria um grau de eficácia de 70% a 75%.

"O que eu aponto é que, com uma vacina e boas medidas de saúde pública, possamos chegar a um ponto entre um controlo realmente bom e a eliminação", disse Anthony Fauci numa entrevista recente.

Ver comentários
Saber mais Rússia vacina Anthony Fauci
Outras Notícias