Zona Euro Tsipras avisa Itália: "Cedam agora, depois será pior"

Tsipras avisa Itália: "Cedam agora, depois será pior"

Com base na sua própria experiência como primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras aconselha as autoridades transalpinas a cederem já às exigências feitas pela Comissão Europeia porque depois será pior. Tsipras lamenta não ter apoiado as intenções de Roma e explica não o ter feito para não "levantar suspeitas".
Tsipras avisa Itália: "Cedam agora, depois será pior"
Reuters
David Santiago 26 de novembro de 2018 às 12:05

"É melhor que façam hoje aquilo que, de outra forma vos farão fazer depois", foi o conselho dado por Alexis Tsipras a um conjunto de personalidades italianas com responsabilidades governativas segundo avançou este fim-de-semana o Corriere della Sera.


Ou seja, "cedam agora, depois será pior", avisou o primeiro-ministro grego tendo como base para este conselho a sua própria experiência como líder do governo helénico em 2015, ano em que desafiou as exigências feitas em Bruxelas rejeitando aplicar novas políticas de austeridade. No fundo, Tsipras considera que se Itália demorar a ceder acabará por pagar um preço mais elevado.


A Grécia entrou numa espiral de crise, sendo obrigada a impor controlo de capitais, que culminaria com a cedência de Atenas às exigências da troika e a adopção de medidas ainda mais gravosas do que as inicialmente postas em cima da mesa.


De acordo com o Corriere della Sera, Tsipras falou com figuras políticas italianas para fazer um pedido de desculpas e dar uma explicação. Tsipras pediu desculpa por não ter apoiado o governo eurocéptico italiano na intenção de prosseguir um orçamento expansionista, criando atritos no âmbito da discussão em curso na Zona Euro.


"Não posso fazer nada porque serei o primeiro a levantar suspeitas", explicou Tsipras recordando que em 2015 Roma também não apoiou as pretensões das autoridades helénicas.


No entanto, o líder do Syriza (esquerda radical) acrescenta que se o governo de aliança entre o 5 Estrelas e a Liga tiver "outra ideia", como por exemplo a saída do euro que o próprio Tsipras rejeitou há três anos, então o primeiro-ministro grego deseja "boa sorte" a Roma.


Depois de a Comissão Europeia ter rejeitado as duas propostas de orçamento que o executivo transalpino fez chegar a Bruxelas, a imprensa italiana avança que ainda na noite desta segunda-feira o núcleo duro governamental vai reunir-se com o objectivo de acordar novas metas para o défice orçamental com vista a garantir a aceitação do órgão executivo da União Europeia.

Tsipras participou este domingo na cimeira europeia extraordinária sobre o Brexit, onde terá falado directamente sobre o assunto com o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte. Por sua vez, Conte reuniu-se à margem do Conselho Europeu com a chanceler alemã Angela Merkel que insistiu na necessidade de Roma "rever" o respectivo esboço orçamental apelando ao executivo italiano que negoceie um compromisso com a Comissão.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI