Função Pública Mário Nogueira: "O Governo acaba de afrontar a Assembleia da República"

Mário Nogueira: "O Governo acaba de afrontar a Assembleia da República"

Sindicatos dizem que o Governo insistiu na proposta de recuperação de menos três anos de serviço e consideram que as negociações podem estar esgotadas. E voltam a pedir uma solução ao Parlamento.
Catarina Almeida Pereira 25 de fevereiro de 2019 às 18:06

O Governo voltou esta segunda-feira a insistir na proposta de recuperação de dois anos, nove meses e dezoito dias para efeitos das progressões dos professores, segundo referiu Mário Nogueira aos jornalistas.

"O Governo decidiu nesta reunião voltar a dizer-nos que tem para recuperação dos professores dois anos, nove meses e dezoito dias. E portanto, além da afronta aos professores, o Governo acaba também de fazer uma afronta à Assembleia da República", referiu Mário Nogueira. "A proposta é exatamente a mesma", referiu, explicando que não foi apresentada por escrito. "Esbarrámos num muro de intransigência".

Considerando que as negociações estão "esgotadas" o líder da Fenprof voltou a pedir aos deputados que garantam aos professores a recuperação do tempo de serviço, através da apreciação parlamentar de um diploma do Governo ou de uma iniciativa própria, como já tinha feito antes da reunião.

Mas desta vez acrescentou como: ou através da apreciação parlamentar de um decreto do Governo ou através de uma iniciativa própria.


As dez organizações sindicais que estão a negociar há mais de um ano com o Governo vão reunir esta terça-feira para decidir se vale a pena realizar mais uma reunião de negociação, na próxima segunda-feira, e para discutir novas formas de protesto.

(Notícia em atualização)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI