Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Produção de seguros cai, mas custos com sinistros aumentam 16% em 2020

A produção de seguros recuou mais de 18% em 2020, enquanto os custos com sinistros aumentaram quase 16% à boleia do ramo Vida, mostram dados da ASF.

O setor segurador tem ignorado os alertas da ASF, liderada por Margarida Corrêa de Aguiar, para reduzir a concentração das carteiras em dívida.
Pedro Catarino
Rita Atalaia ritaatalaia@negocios.pt 23 de Fevereiro de 2021 às 18:43
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A produção de seguros caiu mais de 18% no ano passado, face ao ano anterior. Já os custos com sinistros aumentaram quase 16% no mesmo período, apesar de se ter registado uma menor sinistralidade no ramo automóvel. Os dados foram divulgados esta terça-feira pela Autoridade de Supervisão dos Seguros e Fundos de Pensões (ASF).

"A produção de seguro direto, relativa à atividade em Portugal das empresas de seguros sob a supervisão da ASF apresentou, em termos globais, uma diminuição de 18,5% face a 2019", refere o regulador no relatório sobre sobre a evolução da atividade seguradora para o último trimestre de 2020.

De acordo com a ASF, os ramos Não Vida apresentaram um crescimento de 3,1%. O ramo doença registou um aumento de 8,5% neste período. 

Já no ramo Vida registou-se um decréscimo de 34,6% devido à "diminuição verificada nos seguros de vida não ligados, em particular nos PPR (-71,3%)", revela o regulador.


No mesmo período, diz, "os custos com sinistros verificaram um aumento de 15,9%, em resultado do acréscimo de 26,4% no ramo Vida". Já no ramo Não Vida registou-se uma descida de 2,3% devido, sobretudo, aos ramos automóvel e acidentes de trabalho. 

O organismo liderado por Margarida Côrrea de Aguiar indica ainda que, em dezembro de 2020, o valor das carteiras de investimento das empresas de seguros totalizou 51,4 mil milhões de euros, ou seja, um decréscimo de 3,9% face ao final do ano anterior. Na mesma data o volume de provisões técnicas foi de 44 mil milhões de euros.

Por outro lado, "os rácios de cobertura do Requisito de Capital de Solvência (SCR) e do Requisito de Capital Mínimo (MCR), em dezembro de 2020, situaram-se em 180% e 534%, refletindo variações de mais dois e 39 pontos percentuais face ao final de 2019, respetivamente".

(Notícia atualizada.)

Ver comentários
Saber mais ASF seguros
Outras Notícias