Empresas Apple é a marca mais valiosa em 2018 num raking liderado por tecnológicas

Apple é a marca mais valiosa em 2018 num raking liderado por tecnológicas

A Apple, empresa liderada por Tim Cook, é a marca mais valiosa de 2018. A partilhar o pódio está também a Google (2.º) e a Microsoft (3º).
David Gray/Reuters Peter Power /Reuters Charles Platiau/Reuters Robert Galbraith/Reuters Noah Berger/Reuters Joshua Lott/Reuters Kim Hong-Ji/Reuters Fred Prouser/Reuters Kevork Djansezian/Reuters Mike Blake/Reuters reuters David W Cerny/Reuters Michaela Rehle reuters  Gleb Garanich/Reuters Robert Galbraith/Reuters Philippe Wojazer/Reuters Lucy Nicholson/Reuters Bloomberg Michael Dalder/Reuters
Raquel Murgeira 24 de maio de 2018 às 16:49

A Apple lidera o ranking das marcas mais valiosas do mundo em 2018. Segue-se a Google (2.º) e a Microsoft (3º), segundo um estudo da Forbes.

A tecnológica da maçã, liderada por Tim Cook é a marca mais valiosa do mundo pelo oitavo ano consecutivo, com um valor de marca de 182,8 mil milhões de dólares, registando um aumento de 8% face ao ano passado.

A liderança como marca mais valiosa acontece graças à base de fãs da Apple e às vendas do iPhone X, o smartphone mais vendido no primeiro trimestre de 2018. Quase um quarto das vendas do dispositivo aconteceram na China, o que sugere o alcance global da Apple.

Apesar de a Samsung ter vendido mais smartphones do que a tecnológica da maçã no quatro trimestre de 2017, estima-se que a Apple tenha conquistado cerca de 87% dos lucros da indústria dos telemóveis no mesmo período, muito graças à introdução no mercado do iPhone X por 999 dólares. A disparidade de lucros reflecte-se também no valor da marca, com a Apple a valer quatro vezes mais do que a Samsung (7.º), esta com um valor de marca de 47,6 mil milhões de dólares, segundo a Forbes.

O Google ocupa pelo terceiro ano consecutivo o segundo lugar das marcas mais valiosas do mundo, com um valor de 132,1 mil milhões de dólares, um aumento de 30% face ao ano passado. Em termos de valor, a Apple (1º) verifica uma vantagem de 38% sobre o Google, no entanto, a empresa liderada por Sundar Pichai tem vindo a diminuir esta diferença nos últimos anos.

Apesar dos esforços da Yahoo e da Microsoft, o Google é o motor de busca dominante em todo o mundo, atingindo uma quota de mercado global de 80%.

A completar o topo da lista das marcas mais valiosas do mundo está também a Microsoft (3.º), com 104,8 milhões de dólares, seguida do Facebook (4.º), com um valor de marca de 94,8 mil milhões de dólares e da Amazon (5.º) com 70,9 mil milhões de dólares.

A Amazon ultrapassou a Coca-Cola em valor de marca, tendo sido a única alteração registada nas primeiras cinco marcas mais valiosas do mundo face ao ano passado. Apesar da mudança dos hábitos de consumo, a Coca-cola continua a ser uma marca importante a nivel global, tendo sido a única marca não tecnológica incluída nas sete primeiras da listagem, de acordo com a Forbes.

Na lista pode-se ainda encontrar marcas como a Disney (8.º), com um valor de marca de 47,5 mil milhões, a Toyota (9º), atingindo um valor de 44,7 mil milhões de dólares, o McDonald's (11.º), com 41,4 mil milhões e a Nike (18.º), com um valor de marca a chegar os 32 mil milhões de dólares.

A totalidade das cinco marcas mais valiosas do mundo são direccionadas à tecnologia e juntas valem cerca de 586 mil milhões de dólares. Já a lista das 100 marcas mais valiosas do mundo alcançam um valor acumulado de 2,15 biliões de dólares, um aumento de 10% face ao ano passado, de acordo com a Forbes.

O estudo avaliou mais de 200 marcas a nível mundial para chegar ao ranking das 100 marcas mais valiosas do mundo. Para integrarem a listagem, as marcas necessitavam de ter presença nos EUA, o que eliminou desde logo marcas como a Alibaba e a Tencent.




pub