Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Correios espanhóis anunciam entrada no mercado português de entrega de encomendas

A companhia estatal Correos promete entregar encomendas em toda a Península Ibérica no prazo máximo de 24 horas.

Bloomberg
Negócios jng@negocios.pt 29 de Janeiro de 2019 às 13:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • 10
  • ...

A Correos, empresa de correios detida a 100% pelo Estado espanhol, anunciou esta terça-feira que vai iniciar um processo de internacionalização e entrar no mercado de serviços financeiros.

 

A internacionalização vai começar por Portugal e, nesta primeira fase, tem também o sudeste asiático como objetivo.

 

A entrada no mercado português será no setor da entrega de encomendas, com um prazo máximo de 24 horas em Portugal e Espanha. A Correos será assim mais uma concorrente dos CTT no mercado nacional, onde já estão presentes vários "players".

 

Na Ásia a companhia pretende construir um centro logístico.

 

"Temos o objetivo de constituir a rede de distribuição [de entrega de encomendas] em 24 horas mais eficiente da Península Ibérica. O que também nos abre a porta aos países de língua portuguesa", disse o presidente da Correos, Juan Manuel Serrano, num encontro com a imprensa em Madrid. Para uma fase posterior fica a entrada na América Latina.

 

"Agora só operamos em território nacional e para construir a nossa posição é necessário ir além forneiras. Precisamos de crescer internacionalmente e o Sudeste asiático é o principal ponto de origem de encomendas a nível mundial, com um volume cada vez maior", acrescentou, citado pelo CincoDias e pelo Expansión.  

 

Ao contrário dos CTT, a Correos é uma empresa estatal e não está presente no setor financeiro. Algo que a empresa espanhola quer mudar, apontando a oferta de serviços financeiros nos seus perto de 2.400 pontos de venda como uma das formas de melhorar o seu negócio.

 

A Correos estima que tenha fechado o exercício de 2018 com prejuízos de 150 milhões de euros, prevendo reduzir este valor para 7,4 milhões de euros no final deste ano.

Ver comentários
Saber mais Correios Juan Manuel Serrano Correos CTT encomendas
Mais lidas
Outras Notícias