Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portuguesa GoParity dispara investimentos em ano pandémico

A fintech para investimentos sustentáveis triplicou o valor investido, duplicou o número de projetos, em cinco diferentes países, assim como o número de investidores para mais de nove mil.

A equipa da fintech para investimentos sustentáveis GoParity.
Rui Neves ruineves@negocios.pt 06 de Janeiro de 2021 às 15:24

Nascida em 2017, foi no pandémico ano de 2020 que a GoParity "deu o maior salto". Só nos últimos três meses, o montante aplicado nos seus projetos sustentáveis "superou "todo o investimento de 2019", realça a plataforma nacional de investimento colaborativo de impacto social, em comunicado.

 

"Em apenas um ano duplicou o número de projetos disponíveis na plataforma para investimento, de 32 no final de 2019 para 66 em dezembro de 2020", enquanto o número de investidores também acompanhou a tendência - "há um ano eram 4.800 os investidores registados, e hoje contam-se mais de nove mil", garante a GoParity.

 

Maior destaque: no ano passado, a comunidade de investidores investiu 2,1 milhões de euros, em comparação com os 1,7 milhões de euros investidos nos dois anos anteriores juntos.

 

Contas feitas, a GoParity já permitiu o financiamento de "quase 3,9 milhões de euros" em projetos que vão da saúde à economia do mar, passando pelas áreas da educação, agricultura sustentável, fábricas em transição, moda ecológica, mobilidade elétrica, emprego ou energias renováveis, em cinco diferentes países.

 

"2020, que prometia ser o ano da sustentabilidade, acabou por ser o ano da pandemia. Isso amenizou o clima de investimento na primeira metade do ano, mas despertou muitas consciências em relação à forma como nos relacionamos com o planeta e com os outros e também em relação ao papel ativo que podemos ter como cidadãos, mesmo nas escolhas que fazemos enquanto consumidores. A necessidade tornou-se ainda mais evidente e muitas pessoas e empresas responderam", sustenta Nuno Brito Jorge, fundado e CEO da GoParity.

 

A fintech para investimentos sustentáveis afiança que "20% desta comunidade de investidores são mulheres", estando representa 53 nacionalidades, com Portugal, França, Itália, Brasil, Alemanha, Reino Unido, Espanha, Suíça, Suécia e Países Baixos a constituírem "os países de origem mais relevantes em volume de investimento".

 

Já Portugal, Espanha, Itália, Brasil e Alemanha formam o quinteto que "representam a maior fatia de número de investidores".

 

De resto, "dos quase 3,9 milhões de euros investidos por esta comunidade, mais de 715 mil euros já foram devolvidos", afiança a GoParity.

 

Para 2021, Nuno Brito Jorge espera "aumentar a cobertura geográfica, aumentar significativamente a comunidade de investidores, levantar uma ronda de investimento e lançar novas funcionalidades e parcerias para continuar a revolucionar as finanças de impacto".

 

No total, assegura, os projetos da GoParity "evitam anualmente a emissão de quase 20 mil toneladas de CO2 e produzem mais de sete megawatts-hora de energia limpa".

 

Já no plano social, os projetos investidos na GoParity "já tiveram um impacto positivo em mais de 20 mil pessoas: desde criação de novos postos de trabalho, mulheres em posição de liderança, pessoas em situação de vulnerabilidade social, pequenos produtores ou alunos com planos de educação que incluem a temática da sustentabilidade", garante a mesma empresa.

 

Entretanto, Nuno Brito Jorge revela que a GoParity está "a desenvolver um produto em conjunto com várias empresas parceiras para compensar a pegada carbónica", tendo até agora levantado "um total de 750 mil euros em rondas de investimento e financiamento público". 

Ver comentários
Saber mais goparity fintech investimentos sustentáveis pandemia nuno brito jorge
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio