A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Desapareceram 373 mediadoras imobiliárias no último mês

No final de agosto, existiam 7.471 empresas de mediação no mercado imobiliário, tendo sido criadas mais 420 desde a chegada da pandemia a Portugal. Um acréscimo que praticamente se esfumou, com o total a cair para 7.098 no final de setembro.

Lusa
Rui Neves ruineves@negocios.pt 20 de Outubro de 2020 às 13:29
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

Há pouco mais de um mês, o Negócios revelava que estavam a ser criadas, em média, cerca de 80 novas mediadoras imobiliárias por mês em Portugal desde a chegada da pandemia. No final de agosto, existiam no país 7.471 empresas do setor em atividade, mais 449 do que no mesmo mês do ano passado, tendo nos cinco meses anteriores sido criadas mais 420.

 

Números avançados pelo relatório de setembro da consultora Imovendo, que reportava que, aquando do confinamento, existiam 7.051 mediadoras imobiliárias.

 

"Muitos profissionais têm reportado bons resultados no último trimestre e, certamente por este motivo, desde final de maio foram criadas 300 novas empresas de mediação imobiliária", contabilizava, ainda há um mês, Manuel Braga, CEO da Imovendo.

 

"Um número impressionante, uma vez que representa perto de 5% do setor e que surge em contraciclo, mas que coloca pressão acrescida sobre um setor que enfrenta um futuro incerto", alertava, então, o mesmo empresário.

 

Na altura, contactado pelo Negócios, o presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) explicava que o aumento exponencial do setor "poderá ter a ver com as dificuldades do confinamento para quem trabalhava em empresas maiores, com a tentativa de se estabelecerem por conta própria para ver se conseguem faturar". De resto, lamentava Luís Lima, "é muito fácil criar uma mediadora".

 

Mas eis que, em apenas um mês, praticamente se esfumou o acréscimo registado no setor desde o início da pandemia.

 

No seu último relatório, a Imovendo destaca a grande queda do número de transações imobiliárias em Portugal, registando-se um aumento significativo de stock pré-covid, cujos preços evidenciam uma "elevada inelasticidade e, por este motivo, não está a ser absorvido".

 

Acresce que, só no mês de setembro, o número de empresas de mediação imobiliária em atividade contraiu 5%, "o que revela igualmente que a crescente exigência do mercado só está ao alcance das empresas que estiverem dispostas a se adaptar a uma nova realidade (mais volátil), a novas metodologias de trabalho e a uma relação mais próxima com a tecnologia", considera a mesma consultora imobiliária.

 

Segundo a Imovendo, no final de setembro existiam em Portugal 7.098 mediadoras imobiliárias, menos 373 do que no mês anterior.

 

Em termos geográficos, a maior queda registou-se no distrito de Portalegre - menos 16,7%, para 30 mediadoras. No distrito de Lisboa existem 2.292, menos 1% do que em agosto, enquanto no Porto a redução foi de 0,4% para 1.137 empresas do setor.

 

Ver comentários
Saber mais mediadoras imobiliárias mercado imobiliário imovendo apemip luís lima manuel braga
Outras Notícias