Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Dona da Google com lucros de 18,5 mil milhões. Receitas de publicidade subiram quase 69%

A Alphabet apresentou lucros de 18,5 mil milhões de dólares no segundo trimestre do ano. A área de publicidade viu as receitas disparar quase 69%, para os 50 mil milhões de dólares.

Reuters
Cátia Rocha catiarocha@negocios.pt 28 de Julho de 2021 às 10:14
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Alphabet, a empresa que é dona da tecnológica Google, esmagou as estimativas dos analistas de Wall Street ao apresentar um significativo aumento das receitas e dos lucros no trimestre.

Os lucros da tecnológica ascenderam aos 18,5 mil milhões de dólares (15,66 mil milhões de euros), um valor que compara com os 6,96 mil milhões de dólares (5,89 mil milhões de euros) apresentados no mesmo período do ano passado.

As receitas da tecnológica também subiram significativamente no trimestre: dos 38,3 mil milhões de dólares (32,42 mil milhões de euros) do segundo trimestre de 2020 as receitas passaram para os 61,88 mil milhões de dólares (52,38 mil milhões de euros) este ano. Trata-se de uma subida de 62% em termos homólogos.

"No segundo trimestre, vimos uma onda crescente de atividades online em muitas partes do mundo e estamos orgulhosos de que os nossos serviços tenham ajudado tantos clientes e negócios. Os nossos investimentos em inteligência artificial e cloud a longo termo estão a ajudar-nos a fazer melhorias significativas na experiência digital de toda a gente", comentou Sundar Pichai, CEO da Google e da Alphabet.

Por áreas de negócio, a galinha dos ovos de ouro da Alphabet está na área da publicidade da Google, onde são contabilizados os resultados da área de pesquisa, anúncios no YouTube e a rede Google. No total, as receitas publicitárias da Google ascenderam a 50,44 mil milhões no trimestre, um disparo de quase 69% face ao mesmo período de 2020, quando apresentava receitas de 29,9 mil milhões de dólares.

Apenas a pesquisa e outros na Google representa a maior fatia deste segmento de negócio: a pesquisa gerou receitas de 35,85 mil milhões de dólares, o equivalente a cerca de 71% das receitas de publicidade Google.

Também o segmento de anúncios no YouTube, a plataforma de vídeo da Google, cresceu: há um ano, gerava receitas de 3,812 mil milhões, contra os cerca de 7 mil milhões deste ano. Para esta área, os analistas apontam para receitas de 6,73 mil milhões de dólares.

A Google Cloud, onde a empresa compete com a Amazon Web Services ou com a Azure da Microsoft, gerou receitas de 57,1 mil milhões de dólares, acima dos 35 mil milhões de há um ano. Ainda assim, este segmento de negócio continuou a gerar um prejuízo de 591 milhões de dólares. Trata-se de uma redução das perdas, já que no segundo trimestre de 2020 a Google Cloud gerava um prejuízo de 1.426  milhões de dólares.

A área de Other Bets (outras apostas), onde são incluídas atividades de outras empresas da Google e também as receitas geradas por operações de licenciamento e serviços de investigação e desenvolvimento, gerou receitas de 192 milhões de dólares. Este segmento agravou os prejuízos face ao mesmo período do ano passado, passando dos 1,12 mil milhões de dólares para 1,4 mil milhões de dólares.

Até ao final de junho, a Alphabet tinha 144.056 funcionários, uma subida face aos 127.498 de há um ano.
Ver comentários
Saber mais Google Alphabet resultados trimestre cloud
Outras Notícias