Tecnologias Profissionais da tecnologia ganham até 95 mil euros anuais em Lisboa, menos 10% no Porto

Profissionais da tecnologia ganham até 95 mil euros anuais em Lisboa, menos 10% no Porto

Os cargos ligados à gestão são os mais bem remunerados no setor das tecnologias de informação em Lisboa, com os salários a aumentar 20% em empresas de produto e a diminuir 10% em consultoras. No Porto, paga-se 5% a 10% menos, revela um estudo da Landing.Jobs.
Profissionais da tecnologia ganham até 95 mil euros anuais em Lisboa, menos 10% no Porto
Jacob Kepler/Bloomberg
Rui Neves 10 de abril de 2019 às 14:54

As profissões no setor das TI (tecnologias de informação) em Portugal são cada vez mais bem remuneradas.

 

De acordo com o estudo da Landing.Jobs, empresa que atua no mercado de recrutamento destes profissionais, cargos ligados à gestão, como CTO (chief technology officer) e "head of engineering", podem granjear salários brutos que vão até aos 95 mil euros ou 90 mil euros (com mais de cinco anos de experiência, em ambos os casos), respetivamente.

 

Fora do campo da gestão, os mais bem remunerados são cargos como iOS Developer, com salários que atingem os 62 mil euros anuais, e Android Developer e DevOps Engineer (até 60 mil euros).

 

As conclusões da Landing.Jobs resultam de uma análise a mais de mil ofertas de emprego publicadas na sua plataforma, durante o ano passado, das quais cerca de 850 eram da capital portuguesa.

 

"Este dado mostra que Lisboa continua a ser o maior ‘hub’ tecnológico do país e o local de referência para desenvolvimento em Portugal", sublinha Maria Tolentino, responsável da Landing.Jobs pelo mercado português, em comunicado.

 

"De facto, os intervalos salariais para ofertas de emprego no Porto podem ser 5% a 10% inferiores", admite a autora do estudo.

 

Da análise às conclusões do estudo, regista-se que as funções mais comuns no mercado português são Full-stack Developer (29,7%), Back-end Developer (13,8%) e Product/Project Manager (8,8%), funções que podem render até 45 mil, 55 mil e 50 mil euros por ano, respetivamente.

 

Segundo a Landing.Jobs, estes valores correspondentes a salários anuais brutos tendem a aumentar 20% em empresas de produto e a diminuir 10% em empresas de consultoria, com o número de anos de experiência a assumirem um lugar de relevância, sendo que "os trabalhadores com mais de cinco anos de experiência tendem a auferir salários mais elevados".

 

"Em relação a dados recolhidos no ano anterior, verifica-se um aumento de cerca de 10% no salário médio. O maior crescimento registou-se nas posições ligadas à gestão e destaca-se ainda o aumento dos salários em posições de back-end, mobile e data science", explica Maria Tolentino.

 

José Paiva, CEO da Landing.Jobs, considera "fundamental que as empresas estejam informadas e acompanhem esta evolução do mercado para que, face à procura de profissionais deste setor, possam tornar-se ou manter-se competitivas no ecossistema", porquanto "os salários podem ser decisivos para atração e retenção de talento e é importante que as empresas tenham estas questões em consideração".

 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI