Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Tecnológica do Porto comprada pela francesa Alten recruta mais 100 engenheiros

A ITSector, que opera meia dúzia de centros de desenvolvimento em Portugal, tendo sido adquirida pela gigante tecnológica gaulesa em dezembro passado, contratou cerca de 80 pessoas no primeiro trimestre deste ano e tem mais 30 vagas em aberto.

Toda a equipa executiva da ITSector irá “manter-se em funções”, com Renato Oliveira como CEO da empresa.
Renato Oliveira, CEO da ITSector. Paulo Duarte
Rui Neves ruineves@negocios.pt 13 de Abril de 2021 às 10:31
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A 14 de janeiro passado, o grupo tecnológico ITSector, sediado no Porto, anunciou que tinha sido comprado, no mês anterior, pela multinacional francesa Alten, garantindo que toda a sua equipa executiva, liderada por Renato Oliveira, iria manter-se, assim como a sua marca e a sede em Portugal.

 

A ITSector, que faturou 13 milhões de euros na primeira metade de 2020, mais 25% do que em igual período do ano anterior, tinha fechado o ano com cerca de 600 trabalhadores, na sua grande maioria engenheiros, distribuídos por seis centros de competências "nearshore" (prestações de serviços tecnológicos a terceiros), instalados no Porto, Lisboa, Braga, Aveiro, Bragança e Castelo Branco, a que acrescem escritórios nas capitais da Polónia, Alemanha, Angola e Moçambique.

 

Já esta terça-feira, 13 de abril, a empresa revelou que "apenas no primeiro trimestre do ano já foram recrutados cerca de 80 novos colaboradores", continuando em processo de recrutamento - tem "em aberto, neste momento, 30 vagas para as áreas de .NET, Java, iOS, Android, SharePoint, Project Manager, React/Front-end, entre outras".

 

E promete que, "até ao final de 2021", esta empresa de desenvolvimento de software "pretende continuar a contratar para diversas funções".

Entretanto, a ITSector acaba de mudar de instalações para o novíssimo edifício do Porto Office Park (POP), um complexo de escritórios promovido pela Holding Violas Ferreira, num investimento que rondou os 100 milhões de euros", e apresentar uma nova identidade corporativa, assim como um novo website.

 

Sem detalhar os valores consolidados de faturação em 2020, a ITSector afiançou ter registado um aumento das receitas de cerca de 20% face ao ano anterior, e que, "já em 2021, o crescimento continua a verificar-se ao nível dos dois dígitos percentuais, sendo que a consolidação é um grande objetivo", sinalizou.

 

Especializada na transformação digital para instituições financeiras, a sua "visão é bastante clara" em relação ao futuro deste setor.

 

"O setor financeiro está em profunda mudança já há alguns anos. A pandemia veio trazer um maior sentido de urgência nas transformações dos processos e do relacionamento com os clientes. Vemos isso em Portugal e nos mercados onde operamos. A gestão de riscos vai continuar a estar na agenda dos executivos e, gradualmente, só os melhores terão lugar numa sociedade muito competitiva e com capacidade de escrutínio muito elevada", considera o CEO da ITSector.

 

"Em 2020, por exemplo, lançámos um produto destinado a suportar a gestão de riscos de TI que está a ter uma boa aceitação por parte dos clientes do setor financeiro e das grandes empresas. É um tema em que urge ter mais efetividade e implicar riscos mais reduzidos, com vista a minimizar perdas que se devem evitar pelas suas implicações financeiras e reputacionais", afirma Renato Oliveira.

Já o "rebranding" da empresa "vem oficializar uma nova etapa, a nível de crescimento internacional e de posicionamento reforçado na banca, visando projetar o futuro da ITSector no seu negócio core", explica a sua diretora de inovação e marketing..

 

"A transformação digital dos serviços financeiros e da comunidade em geral vai passar por grandes mudanças no nosso dia a dia e perspetivamos que o futuro digital traga um mundo mais eficiente, com mais propósito e inclusivo", conclui Lis Ferreira.

 

Em dezembro passado, aquando do fecho da operação de aquisição da IT Sector, a Alten Portugal, segundo seu site, empregava já uma centena de profissionais e tinha 13 vagas de emprego no nosso país.

 

A Alten, que está cotada na Euronext Paris, apresenta-se como líder mundial em consultoria e engenharia tecnológica, tendo fechado 2019 com uma faturação de 2,6 mil milhões de euros e mais de 37 mil funcionários, estando presente em 32 países.

 



(Notícia atualizada às 10:48)

Ver comentários
Saber mais itsector alten tecnológica software renato oliveira
Outras Notícias