Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Unicórnio holandês abre escritório em Lisboa e quer contratar 100 pessoas até 2023

A fintech holandesa Mollie vai instalar um centro de desenvolvimento na capital portuguesa e já está à procura de engenheiros de software e de gestores de produto. Até 2023 conta recrutar mais de uma centena de profissionais.

DR
Cátia Rocha catiarocha@negocios.pt 21 de Julho de 2021 às 10:20
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...
A startup Mollie escolheu Lisboa para instalar um centro de desenvolvimento, que estará dedicado à área de produto e engenharia. A empresa holandesa, que opera na indústria dos pagamentos e disponibiliza API (interface de programação de aplicações) de pagamentos para empresas, vai instalar-se na capital portuguesa com o "objetivo de acelerar e expandir o desenvolvimento dos seus serviços".

A empresa sediada em Amesterdão, que atingiu o estatuto de unicórnio depois de uma ronda de financiamento de 665 milhões de euros divulgada em junho - ultrapassou então a fasquia de avaliação superior de mil milhões de dólares -, pretende contratar "mais de 100 colaboradores" para este centro, que ficará "no centro da cidade", até 2023.

Diogo Antunes, diretor de engenharia na Mollie e que irá coordenar o centro de Lisboa, explica em comunicado que a empresa "estabeleceu objetivos de recrutamento ambiciosos". Numa primeira fase, pretende "contratar até 20 colaboradores até ao final de 2021, tendo como foco a contratação de engenheiros de software e de gestores de produto". Já em 2022, prevê aumentar a equipa para 60 membros, ambicionando alcançar a meta de mais de 100 colaboradores em 2023". 

Diogo Antunes vai coordenar o escritório lisboeta da Mollie.
Diogo Antunes vai coordenar o escritório lisboeta da Mollie. DR


No site onde estão disponíveis as primeiras vagas, a empresa informa que, devido à situação pandémica, o processo de recrutamento será feito de forma totalmente remota. A Mollie acrescenta que "está a finalizar a localização do novo escritório, que estará a funcionar no quarto trimestre de 2021".

"A Mollie é uma das maiores fintechs privadas da Europa e temos planos sólidos para acelerar o desenvolvimento de produtos que respondam às crescentes necessidades dos nossos mais de 120.000 clientes. Estamos muito entusiasmados por vir para Portugal e acreditamos que Lisboa é uma base fantástica para instalar o nosso novo Centro de Desenvolvimento, tendo milhares de engenheiros de software e gestores de produto na região", explica o português Marco dos Santos, CTO da Mollie.

O responsável sublinha ainda que "a capital portuguesa tem um ecossistema de tecnologia muito forte e de rápido crescimento e uma diversidade de universidades de ciência e engenharia de referência a nível mundial. Acreditamos também que será uma boa oportunidade para expandir no mercado no futuro."

Conhecemos as capacidades incríveis do talento em engenharia que emerge em Lisboa. Diogo Antunes, coordenador do centro de desenvolvimento da Mollie em Portugal


"Como portugueses, conhecemos as capacidades incríveis do talento em engenharia que emerge em Lisboa", acrescenta Diogo Antunes. "Estou muito entusiasmado por poder liderar o nosso novo centro de desenvolvimento e ajudar a Mollie a concretizar aquela que é a sua visão de se tornar o fornecedor de serviços de pagamento preferido do mundo."

A Mollie, que tem sede em Amesterdão, na Holanda, trabalha com parceiros como a Klarna, o WooCommerce e outras agências web, com soluções viradas para as pequenas e médias empresas (PME).
Ver comentários
Saber mais Fintech Mollie Lisboa centro de desenvolvimento engenharia unicórnio emprego investimento
Outras Notícias