Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CMVM dá 30 dias à High Bridge e à High Seas para fazerem prova de dono efetivo

Considerando haver falta de transparência na titularidade de duas sociedades acionistas da Pharol, a CMVM deu às partes 30 dias para revelarem beneficiários efetivos.

Mariline Alves
Alexandra Machado amachado@negocios.pt 29 de Março de 2019 às 20:24
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...
A CMVM avançou com um projeto de decisão que dá 30 dias à High Bridge e à High Seas, duas acionistas da Pharol, para informarem o beneficiário efetivo das empresas, ou seja, o seu verdadeiro dono.

Em comunicado, a supervisora explica que foi dado conhecimento do projeto de decisão aos órgãos de administração e fiscalização da Pharol e ao presidente da mesa da assembleia geral, "para os efeitos que considere adequados".

Na reunião que decorreu esta sexta-feira, 29 de março, Diogo Lacerda Machado, presidente da mesa da assembleia geral, entendeu que devia deixar estes acionistas votarem de forma individual, assim como Nelson Tanure, que detém uma posição na Pharol assumida via Blackhill.

A CMVM esclarece no comunicado que considera haver "falta de transparência" nas participações qualificadas na Pharol, comunicadas ao mercado pela High Seas Capital Investments, High Bridge Unipessoal e Blackhill Holding Limited. A CMVM diz ter recolhido elementos que levam a entender que "não se encontram devidamente identificados os beneficiários efetivosda High Seas Capital Investments e da High Bridge Unipessoal, e que não foi assumida a atuação concertada entre as três referidas entidades".

A CMVM quer, assim, que em 30 dias as duas sociedades informem da propriedade do respetivo capital, para aferir se Nelson Tanure é um dos beneficiários das companhias. O que significaria que a imputação de votos ao empresário brasileiro ficaria limitada a 10%, para uma posição conjunta de 18%.

As sociedades têm, assim, de, em 30 dias, apresentarem "prova destinada a esclarecer os aspetos suscitados, ou tomando medidas com vista a assegurar a transparência da titularidade das participações qualificadas em causa".
Ver comentários
Saber mais CMVM High Bridge High Seas Pharol Nelson Tanure
Mais lidas
Outras Notícias