Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa russa dá maior tombo desde a crise de 2008. Rublo em queda

Perante os desenvolvimentos da tensão geopolítica entre Ucrânia, Rússia e EUA, os principais índices bolsistas tombaram e o rublo desvalorizou.

RIA Novosti via Twitter
Fábio Carvalho da Silva fabiosilva@negocios.pt 21 de Fevereiro de 2022 às 18:37
As bolsas europeias pintaram-se de vermelho perante os desenvolvimentos da crise ucraniana, depois do Kremlin ter defraudado as expectativas sobre um encontro entre Vladimir Putin e Joe Biden. As ações russas deram o maior tombo desde a crise financeira de 2008. Por sua vez, o rublo desvalorizou cerca de 3%.

O principal índice russo, o Moex, chegou a tombar 14% durante a sessão para os 116,41 pontos, tendo, entretanto, aliviado para 119,65 pontos, renovando mínimos de 2008. Desde o início do ano, já acumula uma perda de 19,81%.

Já o RTS Index, que reúne as 50 maiores empresas russas, desvalorizou 13,21% para 1.207,50 pontos. Entre as cotadas com mais peso, a Gazprom cede 13%, enquanto a petrolífera Rosneft afunda mais de 16%.

Apesar disso, o ETF (exchange traded fund) Van Eck Russia, que negoceia nos EUA e replica os principais títulos russos, viu o fluxo de fundos aumentar a meio do dia, estando a caminho do melhor desempenho mensal desde 2020.

O ETF recebeu novas entradas de capital de 102 milhões de dólares durante o dia, como não era visto desde 2020, de acordo com os dados da Bloomberg. Esta tendência poderá estar a ser influenciada pelo efeito cambial, conjugado com a menor liquidez no mercado norte-americano onde as principais bolsas estão fechadas em observância do aniversário de George Washington.

"O par cambial USDRUB caiu mais de 3% durante a sessão, à medida que a aversão ao risco aumenta. Os mercados aguardam a decisão final se a Rússia irá reconhecer oficialmente a independência das repúblicas separatistas", explicam os analistas da XTB. "O par USDRUB quebrou acima da resistência marcada pelos 77,85 que coincide com os níveis de Fibonacci nos 23,6%. O par aproxima-se da marca dos 80,00, que coincide com o limite superior da estrutura 1:1", acrescenta a corretora.

O mundo acordou esta segunda-feira com a perspetiva de um encontro entre Vladimir Putin e Joe Biden, mas o Kremlin já afirmou que "ainda é prematuro falar de planos [para este encontro entre os dois chefes de Estado]". Além disso, Moscovo informou que matou "cinco sabotadores" e destruiu "dois veículos blindados russos que cruzaram o território russo".

Ainda esta noite o presidente russo irá falar em direto na televisão, anunciando se reconhece ou não Luhansk e Donetsk como independentes. Como sublinha a XTB, "Muitos especialistas acreditam que as regiões serão reconhecidas como independentes". Entretanto, o governo da Ucrânia pediu uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU, que inclui a Rússia.

Ver comentários
Saber mais Kremlin Vladimir Putin Joe Biden ETF Van Eck Russia USDRUB Rússia Xtb economia negócios e finanças política mercado e câmbios bolsa diplomacia
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio