Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Nuno Valente 05 de Junho de 2016 às 17:49

Tributação autónoma com viaturas ligeiras de mercadorias

As viaturas ligeiras de mercadorias até três lugares são tributadas pela tabela B, pelo que não se enquadram sujeitas a tributação autónoma.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

As taxas de tributação autónoma relacionadas com os veículos ligeiros de mercadorias passam a estar relacionadas com o custo de aquisição dessas viaturas, sendo de: 10 por cento se o custo de aquisição foi inferior a 25.000 euros; 27,5 por cento se o custo de aquisição foi igual ou superior a 25.000 euros e inferior a 35.000 euros; 35 por cento se o custo de aquisição foi igual ou superior a 35.000 euros.

 

Em outubro de 2015, a Autoridade Tributária (AT) torna pública uma ficha doutrinária, processo n.º 750/2015 na qual explica quais as viaturas ligeiras de mercadorias que estão sujeitas a tributação autónoma.

 

Pela redação da norma ficou claro a exclusão da incidência de tributação autónoma relativa aos veículos ligeiros de mercadorias que fossem tributados em ISV pelas taxas reduzidas ou pela taxa intermédia. Mas ficava a dúvida se aqueles que se inserissem na tabela B do ISV também sofriam a incidência desta tributação autónoma, pois nesta tabela também teríamos veículos tributados à taxa normal.

 

Com tantas incertezas aparece um esclarecimento da Divisão do Imposto sobre os Veículos (DIV)   que refere quanto à aplicação de taxas de tributação autónoma aos encargos relacionados com certos veículos ligeiros de mercadorias, que a alínea a) do n.º 7 do CISV a que se refere o CIRC diz respeito a um reduzido número de ligeiros de mercadorias que são tributados à taxa normal da tabela A. Estes ligeiros de mercadorias, com mais de três lugares (em regra três ou quatro lugares) e caixa fechada, assemelham-se aos ligeiros de passageiros, mas são classificados pelo IMTT, em razão de vários fatores, como mercadorias.

 

Tributação pela tabela B

 

Indicam-se, de seguida, os ligeiros de mercadorias que, pelas suas características, são atualmente tributados pela tabela B e, residualmente, pela tabela A:

 

a) Os ligeiros de mercadorias até três lugares são tributados pela tabela B, pelo que não estão sujeitos a tributação autónoma;

 

b) Os ligeiros de mercadorias com mais de três lugares, de caixa aberta ou sem caixa (incluem-se as pick-up) são também tributados pela tabela B, não estão sujeitos a tributação autónoma;

 

c) Para os ligeiros de mercadorias com mais de três lugares, com caixa fechada, é necessário distinguir as seguintes situações:

– Se tiverem dois eixos motores (4X4), são tributados a 100 por cento das taxas da tabela A (taxa normal), estando sujeitos a tributação autónoma;

 

– Se tiverem um eixo motor (4X2), só são tributados à taxa normal da tabela A e sujeitos a tributação autónoma se não reunirem os requisitos definidos na alínea b) do n.º 1 do artigo 8.º, ou na alínea a) do n.º 1 do artigo 9.º, ou ainda na alínea c) do n.º 2, todos do CISV;

 

d) Finalmente, os ligeiros de mercadorias com o peso bruto igual a 3.500 quilos, um eixo motor (4X2) com caixa aberta ou sem caixa (ou quadro) ou, se de caixa fechada, não tenha a cabina do condutor e passageiro(s) integrada na carroçaria, estão fora da incidência do ISV, não está sujeito a tributação autónoma.

 

Assim, as viaturas ligeiras de mercadorias até três lugares são tributadas pela tabela B, pelo que não se enquadram sujeitas a tributação autónoma. Se a viatura for de quatro lugares, terá de verificar se tem "caixa aberta ou sem caixa" ou "caixa fechada" de forma a enquadrar a viatura na tabela correta.

 

Consultor da Ordem dos Contabilistas Certificados

 

Este artigo de opinião foi escrito em conformidade como novo Acordo Ortográfico

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Mais lidas
Outras Notícias