Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
João Carlos Barradas 11 de Setembro de 2018 às 20:46

A Hungria, seus santos e demónios

Do Danúbio vislumbra-se, em Budapeste, o monumental edifício do Parlamento onde está exposta a coroa de Santo Estevão, relíquia sagrada de um milénio de nação cristã, repositório da legitimidade real, consagrada no brasão de armas da Hungria pós-comunista, e é, aí, na Praça Lajos Kossuth, que tudo começa.

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
No fatídico ano de 1920, no rescaldo da Grande Guerra que destruiu o Império Austro-Húngaro pelo Tratado de Trianon - imposto por França, Reino Unido e Estados Unidos -, Budapeste perdeu mais de 70% dos territórios e 60% da população do reino da Hungria.

Negócios Premium
Conteúdo exclusivo para assinantes
Já é assinante? Inicie a sessão
Assine e aceda sem limites, no pc e no smartphone
  • Conteúdos exclusivos com melhor da informação económica nacional e internacional;
  • Acesso sem limites, até três dispositivos diferentes, a todos os conteúdos do site e app Negócios, sem publicidade intrusiva;
  • Newsletters exclusivas;
  • Versão ePaper, do jornal no dia anterior;
  • Acesso privilegiado a eventos do Negócios;
Ver comentários
Mais artigos de Opinião
Ver mais
Mais notícias Negócios Premium
+ Negócios Premium
Outras Notícias