Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Ulisses Pereira ulissespereira@hotmail.com 27 de Julho de 2020 às 10:26

A diferença entre 2020 e 1999

Facebook, Amazon, Alphabet (Google), Microsoft e Apple valem cerca de 23% do índice, composto por 500 empresas.

  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A euforia que se vive no mercado americano, com o Nasdaq em máximos históricos, faz com que muitos comparem o actual momento com 1999 e o início de 2000, antes da implosão da bolha das acções da Internet. Apesar de reconhecer algumas semelhanças, há alguns factores que distinguem estes dois períodos.

Em 1999, eram lançadas para o mercado empresas de internet sem qualquer sustentabilidade, apenas para se arrecadar muito dinheiro nas OPV e depois elas voavam rapidamente no meio da euforia. Hoje, o que estamos a assistir é à subida incessante de empresas que valem milhares de milhões ou, algumas mesmo que valem mais de um bilião de dólares! O PIB português, em 2019, foi de cerca de 212 mil milhões de euros e há quatro empresas na Bolsa americana que valem mais de um bilião de dólares.

São estas grandes empresas que estão a mover os índices norte-americanos. Em 2020, o S&P500 está positivo, mas cerca de 2/3 das suas acções desvalorizaram-se desde o início do ano. Se vos disser que o Facebook, Amazon, Google (Alphabet), Microsoft e Apple valem cerca de 23% do índice (composto por 500 empresas), perceberão a razão deste estranho acontecimento.

Será que 6 empresas (onde tenho que incluir a Tesla) dominarão o mundo e esta crise apenas veio acentuar esta diferença entre grandes e pequenos e o domínio das empresas tecnológicas? Ou teremos ido longe demais? Com as yields da dívida pública americana a 10 anos abaixo de 0,6%, alguém tem que estar errado, ou o mercado obrigacionista ou o mercado accionista.

Apesar de 2020 não ser 1999, os sinais de euforia estão por todo o lado e estes momentos acabam sempre da mesma forma - a pior forma possível. Mas, nestas alturas de euforia, todos sabemos que os mercados podem subir sempre muito mais do que julgamos possível.

Artigo escrito em 24/07/20 às 12h20
Fontes: https://www.nyse.com

Ulisses Pereira não detém qualquer dos ativos analisados. Deve ser consultado o disclaimer integral aqui,onde também pode ser consultada a lista com as anteriores análises de Ulisses Pereira.

Artigo em conformidade com o antigo Acordo Ortográfico
Ver comentários
Saber mais Ulisses discos pedidos Nasdaq
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias