Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

De Guindos: BCE está "mais determinado que nunca" a apoiar a economia  

Para já, o vice-presidente do BCE diz estar perante uma "nuvem de incerteza" no que toca ao decurso da pandemia.

A carregar o vídeo ...
Negócios com Bloomberg 07 de Maio de 2020 às 11:43
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, afirma que a instituição está "mais determinada do que nunca" em apoiar a economia do bloco, numa altura em que a pandemia de coronavírus ditou a maior recessão das últimas décadas.

"Continuamos prontos a fazer mais ajustamentos às nossas medidas de política monetária caso vejamos que a escala dos estímulos está a ficar aquém do que é necessário", disse De Guindos numa videoconferência com o Comité de Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu, esta quinta-feira.

Estes comentários são avançados um dia após a Comissão Europeia ter revelado projeções preocupantes quanto à economia do bloco, o qual vê a contrair 7,7% no ano de 2020.

O BCE já avançou um programa de 750 mil milhões de euros de compra de dívida e novos programas de crédito à banca. Contudo, o Tribunal Constitucional alemão pôs em causa a legalidade do programa de compras, pelo que o BCE tem três meses para apresentar garantias de que respeitou princípio da proporcionalidade. Caso contrário, o Bundesbank pode sair do programa de "quantitative easing" e arriscar ferir de morte a resposta à pandemia.

Para já, o vice-presidente do BCE diz estar perante uma "nuvem de incerteza" no que toca ao decurso da pandemia e os danos que esta vai deixar para trás, descrevendo o risco de desvio das previsões como "enorme". A contração económica no segundo trimestre pode ser o dobro ou o triplo dos 4% relativos ao primeiro trimestre do ano. A seguir, De Guindos espera uma trajetória de recuperação que se deverá manter até 2021.

Ver comentários
Saber mais Luis de Guindos BCE Banco Central Europeu política economia negócios e finanças economia (geral) partidos e movimentos governo (sistema) executivo (governo) macroeconomia serviços financeiros banca
Outras Notícias