Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BCE vai continuar a comprar dívida da zona euro apesar da decisão do Tribunal alemão

O Banco Central Europeu (BCE) vai continuar a comprar dívida pública da zona euro, apesar da decisão do Tribunal Constitucional alemão, disse a membro alemã do comité executivo da instituição, Isabel Schnabel, numa entrevista ao jornal italiano "La Repubblica".

EPA
Lusa 11 de Maio de 2020 às 12:34
  • Assine já 1€/1 mês
  • 8
  • ...
Schnabel acrescentou que "o BCE é uma instituição europeia, o que significa que o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) tem jurisdição exclusiva sobre o BCE e as suas ações" e já decidiu em 2018 que o programa de compra de dívida pública é legal.

O TJUE decidiu em dezembro de 2018 que o BCE age no âmbito do seu mandato, que é garantir a estabilidade de preços.

"Continuaremos a conduzir o programa de compra de dívida pública e o programa de compras de emergência para a pandemia, bem como outras medidas de política monetária, de acordo com nosso mandato", disse Schnabel ao "La Repubblica".

Schnabel, que é membro do comité executivo do BCE desde o início do ano, sublinhou que "esta mensagem também parece ter sido bem compreendida pelos participantes do mercado".

A presidente do BCE, Christine Lagarde, disse na semana passada que a entidade monetária "fará tudo o necessário para apoiar a recuperação económica" da zona euro e que não se intimida.

Lagarde foi contundente ao ultimato do Tribunal Constitucional alemão contra o programa de compra de dívida pública.

A presidente da Comissão Europeia, a democrata-cristã alemã Ursula von der Leyen, defendeu no sábado a primazia dos tribunais europeus sobre os tribunais nacionais em questões de direito comunitário e ameaçou sancionar a Alemanha pela decisão do seu Tribunal Constitucional sobre o programa de compras do BCE.

A presidente da CE respondia à proposta do eurodeputado alemão do Grrupo dos Verdes Sven Giegold, depois do Tribunal Constitucional alemão ter ordenado ao Bundesbank para interromper a compra de dívida no prazo de três meses se o BCE não justificar que as compras de dívida são proporcionais.

No entanto, outros deputados europeus da União Democrata Cristã (CDU), Markus Pieper e Stefan Berger, consideraram que a abertura de um processo de infração é "desproporcional" e que o conflito poderia ser resolvido de maneira diferente, com mais transparência e uma melhor justificação do programa de compra de dívida pública pelo BCE.
Ver comentários
Saber mais BCE Tribunal de Justiça da União Europeia Christine Lagarde Tribunal Constitucional
Mais lidas
Outras Notícias