Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Fitch: Compra da espanhola Viesgo sem impacto na perspetiva do 'rating' da EDP

A agência de notação financeira considera que o acordo anunciado pela EDP para a compra da espanhola Viesgo terá "um impacto neutro nas métricas consolidadas de crédito financeiro e um efeito marginal positivo no perfil de risco global".

A aquisição em Espanha foi anunciada poucos dias depois de Miguel Stilwell assumir o cargo de CEO interino.
Inês Gomes Lourenço
Lusa 18 de Julho de 2020 às 13:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A agência de notação financeira Fitch considerou que o plano da EDP para a compra da empresa espanhola Viesgo "terá um impacto neutro" nas métricas de análise de crédito da elétrica portuguesa.

"O acordo da EDP para adquirir a elétrica espanhola Viesgo terá um impacto neutro nas métricas consolidadas de crédito financeiro e um efeito marginal positivo no perfil de risco global", pode ler-se na nota da Fitch enviada na sexta-feira sobre o negócio.

Na quarta-feira, a EDP anunciou ao mercado um aumento de capital em mais de mil milhões de euros para financiar a compra da espanhola Viesgo, um transação avaliada em 2,7 mil milhões de euros do valor de 100% da Viesgo, "de forma a ter um impacto neutro na dívida líquida consolidada e no EBITDA [rendimentos antes de juros, impostos, depreciações e amortizações]".

A Fitch considera que a estrutura de financiamento confirma o compromisso de desalavancagem da EDP.

A agência de 'rating' sediada nos Estados Unidos tem a expectativa "que a EDP desalavanque em 2022 para um nível consistente com um 'rating' BBB depois da transação, que apoia uma perspetiva ('outlook') positiva" para a companhia.

Referindo que a transação irá ser financiada através de um aumento de capital de 1,02 mil milhões de euros, pela venda (por 500 milhões de euros) de centrais de gás e de negócios de venda ao consumidor à Total, a Fitch assinala que, com a consolidação da dívida da Viesgo, a da EDP "deverá crescer 500 milhões de euros como resultado da transação".

"O risco de financiamento da transação, para a EDP, é praticamente zero" devido aos compromissos já assumidos pela empresa, assinala a Fitch, que refere ainda as "potenciais sinergias" que podem ter reflexos positivos nas contas futuras da empresa.

De acordo com a Fitch, "a aquisição é marginalmente positiva para o perfil de negócios da EDP, apesar da sua proporção de redes reguladas permanecer abaixo dos seus pares do sul da Europa".
Ver comentários
Saber mais Fitch EDP energia Viesgo
Outras Notícias