Empresas Toys "R" Us fecha todas as lojas nos EUA. Negócio em Portugal está sob avaliação

Toys "R" Us fecha todas as lojas nos EUA. Negócio em Portugal está sob avaliação

Ao todo, são mais de 800 estabelecimentos encerrados e mais de 33 mil empregos perdidos nos EUA. No caso de Portugal e Espanha, a empresa está a estudar as suas opções.
Negócios 14 de março de 2018 às 21:49

A Toys "R" Us, empresa de brinquedos presente em Portugal, anunciou esta quarta-feira que vai encerrar ou vender todas as lojas nos EUA, após o fracasso do seu processo de reestruturação. Ao todo, são mais de 800 estabelecimentos que encerram e mais de 33 mil pessoas que irão ficar sem emprego.

Segundo fonte do Washington Post, citado pelo Correio da Manhã, o processo de reestruturação da empresa, com mais de seis décadas de operação, falhou mesmo, seis meses depois de ter pedido de protecção contra credores ao abrigo da lei de falências dos EUA.

À procura de soluções em solo norte-americano desde Setembro, a empresa não encontrou um comprador para a operação nem conseguiu reestruturar a sua dívida com os credores. 

Já no início deste ano, foi revelado que a empresa pretendia encerrar cerca de 180 lojas nos EUA entre Fevereiro e Abril. No passado dia 9 de Março foi entretanto avançado que todas as lojas nos Estados Unidos iriam fechar.

A retalhista está também a viver momentos difíceis no Reino Unido, uma vez que também foi anunciado que as 100 lojas britânicas seriam encerradas. 

A Toys "R" Us, que em tempos idos habitou o imaginário dos mais pequenos com todos os seus brinquedos, não conseguiu acompanhar os tempos e competir com o mercado online. 

Entretanto, nas últimas horas, a agência Bloomberg noticia que a Toys "R" Us está a tentar vender as suas operações na Europa Central - o que inclui as operações na Alemanha, Áustria e Suíça. Em relação aos negócios na Austrália, França, Polónia, Portugal e Espanha, a empresa "está a considerar as suas opções". A retalhista do sector dos brinquedos sublinha, contudo, que as lojas nestes mercados internacionais estão abertas e a servir os seus clientes".

(Notícia actualizada às 09:57 do dia 15 de Março com a informação relativa às operações na Europa)




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 15.03.2018

O raio do Digital....
Agora a petizada que mais é nets, game boxes e afins.

Anónimo 15.03.2018

Sabem porquê os americanos compram armas? porque a criminalidade é tão elevada que quem não tenha uma arma fica esticado no primeiro assalto, o assaltante ao saber que a vitima está armada pensa duas vezes antes de o assaltar
Os tugas vivem num paraiso se vivessem num país da America também comprav

Camponio da beira 14.03.2018

Pois, se até há papás que oferecem pistolas (verdadeiras) cor de rosas á filhas pequenas...

pub