Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião por
Artigos de opinião deste autor

Partidos com paredes de vidro

10:20h

Mas para que isto mude, importa que as paredes de vidro dos partidos, como de todas as instituições, permitam ver para dentro coisas de que gostamos, motivos que nos levem a querer ser parte, pessoas que nos inspirem e em quem possamos confiar.

As contas fazem-se no fim

30.01.2023

Julguemos com racionalidade e com firmeza mas, por favor, com conhecimento da realidade. Avaliemos os resultados. Ou não quiséssemos nós ser o país das “contas certas”.

Será possível governar?

22.01.2023

O clima de suspeição sobre os políticos atingiu níveis nunca antes vistos. E estes não perdem a oportunidade de se atacar entre eles. A ideia é que ninguém se poderá ficar a rir.

Costa escuta, o povo vai dar luta

16.01.2023

A agitação nas ruas não se irá travar com repressão policial, nem com promessas requentadas, muito menos com preenchimento de formulários. Faz-se com medidas imediatas que indiciem que as reformas estão a chegar.

Até que caia de podre

09.01.2023

É o que Luís Montenegro aguarda. Que o Governo de António Costa caia de podre e que, como habitualmente, chegue a vez do PSD.

Pântano versão 2023

02.01.2023

Num tempo em que a verdadeira oposição ao (des)governo socialista é feita pela CMTV e por Ricardo Araújo Pereira, fácil será compreender que as alternativas não são muitas.

Inspiração e transpiração

25.12.2022

Em especial nesta época, procuramos renovar votos para o ano que entra e prometer a nós próprios conseguir ou atingir metas que até aqui não alcançámos. Raramente cumprimos o prometido, mas ficam as boas intenções. Com 2022 a acabar, começamos a olhar para 2023.

A culpa não é minha

12.12.2022

Afinal a culpa é minha. E de todos os que pensam como eu. Não a de que chova no inverno ou haja incêndios no verão. Mas por não agir na minha comunidade antes das coisas acontecerem e de não exigir responsabilidades depois do mal-estar feito.

O futuro de quem trabalha

05.12.2022

Certo é que o futuro de quem hoje trabalha é cada vez mais incerto. Nada garante que as gerações vindouras queiram suportar os custos de uma decisão que não tomaram.

Há pouca gente assim

28.11.2022

Percebemos que o caminho do diálogo e da ação em nome de causas comuns é possível e será sempre mais frutuoso do que o da confrontação, da desestabilização ou da defesa intransigente de interesses individuais.

Ver Mais
Mais lidas
Publicidade
pub
pub
pub
Publicidade
C•Studio