Desporto Direcção do Sporting cai com a saída de mais um ou dois membros? Estatutos geram dúvida

Direcção do Sporting cai com a saída de mais um ou dois membros? Estatutos geram dúvida

Jaime Marta Soares diz que são dois. Conselhos Fiscal e Disciplinar falam em apenas um.
Direcção do Sporting cai com a saída de mais um ou dois membros? Estatutos geram dúvida
Negócios 18 de maio de 2018 às 13:31
A direção do Sporting está 'presa' por um elemento ou por dois. A questão prende-se com a interpretação dos estatutos.

Segundo fontes do Conselho Fiscal e do Conselho Disciplinar  contactadas por Record, bastará a saída de apenas mais um elemento, uma vez que os suplentes demissionários também contam para a questão do quórum, uma vez que foram eleitos pelos sócios.

O presidente da mesa da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares, tem uma interpretação diferente. À Lusa referiu que são precisas mais duas demissões.

"A direção é composta por 11 membros, mais dois suplentes e desses 13 já se demitiram seis, por isso, só tem sete membros. Para a direção cair têm de sair mais dois membros, pois só quanto atingir cinco é que não tem quórum", notou Marta Soares.

Além das demissões do vice-presidente António Rebelo, do vogal Luís Loureiro e dos suplentes Jorge Sanches e Rita Matos - todas na quinta-feira -, e de Bruno Mascarenhas (esta sexta-feira), também Vicente de Moura já tinha saído, há um ano, devido a motivos de saúde.

De acordo com o ponto 37.º dos estatutos do Sporting, "constituem causa de cessação do mandato da totalidade dos titulares do respetivo órgão social", quando ocorre a cessação do mandato da maioria dos membros do Conselho Diretivo.

Foram eleitos para este órgão o presidente Bruno de Carvalho, os vice-presidentes Carlos Vieira, António Rebelo e Vicente de Moura e os vogais Rui Caeiro, Bruno Mascarenhas, José Quintela, Alexandre Godinho, Luís Roque, Luís Gestas e Luís Loureiro.





pub

Marketing Automation certified by E-GOI